Eclipse Lunar – descubra como acontece esse fenômeno

Fenômeno astronômico. É assim que se pode traduzir uma eclipse lunar. Mas, o que é, como acontece, por que acontece e de que forma? Foi para responder essas dúvidas, que são muito comuns na vida das pessoas, que criamos esse conteúdo que você lê agora.

Eclipse Lunar – descubra como acontece esse fenômeno
Foto: (reprodução/internet)

O fenômeno tem ligação com o sol, com a Terra e com a lua. Por isso, é que acaba sendo tão tocante. Ah, sem contar que estamos falando de uma cena que é para ficar para sempre na memória, não é mesmo? Bom, vamos com calma. Saiba tudo do eclipse lunar!

ANÚNCIO

O começo do estudo sobre eclipse lunar

A gente vai explicar o que é eclipse lunar e vamos falar até dos movimentos da lua. Só que antes disso vale muito a pena ver como é que tudo começou. Afinal, em 1503, os navios de Cristóvão Colombo encalharam na Jamaica. E daí? A gente conta.

Eclipse Lunar – descubra como acontece esse fenômeno
Foto: (reprodução/internet)

Enquanto eles esperavam pelo resgate, os nativos fizeram “amizades” com eles. Em março de 1504, Colombo disse aos índios que seu Deus estava com raiva e lhe mostraria isso naquela noite. No entanto, Colombo já sabia da possibilidade do eclipse lunar.

Assim, quando o eclipse aconteceu, os nativos garantiram que toda a trupe europeia seria bem cuidada para que o Deus de Colombo não ficasse mais irritado e restaurasse logo a lua. Isso pode parecer brincadeira, mas conta um pouco sobre a cultura em torno do eclipse. E tem mais!

Outros fatos culturais do eclipse lunar

Para os budistas tibetanos, as ações praticadas durante um eclipse lunar são multiplicadas por 1 mil. E isso vale tanto para as boas como para as más ações, viu. Para chineses, que foram alguns dos primeiros a estudar o tema, considere que o eclipse significa que o Dragão quer comer a lua. 

Já dentro do mito africano, bem no sul-africano, sol e lua lutam durante o dia de eclipse. Então, cabe as pessoas encorajarem eles a resolver suas disputas. Tem ainda a crença de tribos norte-americanas, que diz que a lua controla a vida na Terra.

Assim, os eclipses lunares são um sinal de transformação. Ou seja, é o momento ideal para restaurar o equilíbrio do universo. O resultado disso é: celebrações com cantos, danças e bebidas. Em outras culturas, as grávidas não podem ver o eclipse para que bebês não nasçam amaldiçoados. 

O que é um eclipse

Eclipse é um termo grego e significa abandono. Oi? É isso mesmo! O nome tem ligação com fato de a luz ficar obscura nesse momento. É quando a gente pode observar a lua ou o sol e de repente é como se um deles sumisse, do nado, feito mágica.

Eclipse Lunar – descubra como acontece esse fenômeno
Foto: (reprodução/internet)

Para os chineses, babilônios e gregos, os eclipses vem de muito tempo atrás. Elas começaram a ser estudadas desde a astronomia antiga. Inclusive, é um dos fenômenos que seguem a história dessa disciplina. A diferença é que hoje dá para prever um eclipse lunar.

O começo da história mais teórica vem com o Pitágoras, lá no século IV. Ele viu que a sombra circular da Terra sobre a lua acontecia. E foi assim que ele conseguiu provar que a Terra era esférica. É justamente daí que vem o movimento de translação da Lua.

Os movimentos da lua

Para entender como acontece um eclipse lunar, a gente também precisa entender as fases da lua. Elas são: nova, crescente, cheia e minguante. A fase nova, há o alinhamento entre sol, lua e Terra. É assim que podemos ver a face iluminada da lua. 

Na fase cheia, há o alinhamento sol, Terra e lua. Com isso, a face iluminada volta para a Terra e todo o disco lunar fica visível para nós durante a lua cheia. Parece difícil entender isso, só que não é. O fato é que o eclipse da lua acontece durante a lua cheia.

É nessa fase que a Terra fica entre o sol e a lua. Porém, não é todos os meses dá para ver um eclipse lunar porque a órbita da lua ao redor da Terra não está no mesmo plano da Terra com relação ao sol. A inclinação muda tudo, entendeu?

Resumindo um eclipse lunar

A parte de cima é mais chata, isto é, mais teórica. E pode ser que você tenha lido e ficado com algumas dúvidas aí na sua cabeça. Por isso, vamos usar esse tópico para resumir e facilitar o seu entendimento sobre o que é e como funciona um eclipse lunar, veja.

Eclipse Lunar – descubra como acontece esse fenômeno
Foto: (reprodução/internet)

É um fenômeno que acontece quando a Terra fica entre o sol e a lua. Assim, há o bloqueio total ou parcial da chegada da luz do sol até a lua. É algo que acontece ao menos duas vezes ano e sempre quando a lua está em fase cheia, que é a fase inteira.

Para acontecer o eclipse lunar, é preciso que aconteça o seguinte: os astros devem estar alinhados. Isso não é sempre que acontece devido à angulação de cada um deles. No eclipse, a lua fica na sombra da Terra, o que pode ser algo totalmente ou parcialmente na sobra.

As curiosidades do eclipse lunar

Se a área coberta pela Terra for total, a gente tem um eclipse lunar total. Se tem uma parte de penumbra, isso quer dizer que apareceu alguma iluminação na lua. Então, o eclipse é parcial, sendo chamado também de penumbral, já que apenas uma parte da lua foi coberta.

Os ciclos dos eclipses são chamados de Saros. É comum que eles durem 18 anos, 11 dias e 8 horas. No entanto, na prática, o que se sabe é que o eclipse lunar varia de ano para ano, ainda que seja comum de acontecer duas vezes ao ano, quando os celestes estão alinhados.

A duração de um eclipse lunar pode ser de minutos ou chegar a 4 horas. Até hoje, na Índia, algumas pessoas evitam cozinhar, comer ou beber durante os eclipses lunares porque acreditam que a comida fica 28 dias mais velha, o que pode ser tóxico.

O primeiro filme de um eclipse lunar

Apesar da história toda que contamos acima e das culturas que falam sobre o evento, considere que a ciência também tem a sua parte nesse texto. E ela vem através do inventor britânico Neil Maskelyne, que gravou o primeiro vídeo de um eclipse lunar na história. 

Eclipse Lunar – descubra como acontece esse fenômeno
Foto: (reprodução/internet)

Isso foi em 28 de maior de 1900, quando ele fazia uma expedição na Carolina do Norte. Era uma época em que o cinema ainda estava começando. Ele pegou a câmera e gravou através da adaptação de um telescópio. Os equipamentos foram feitos por conta própria. 

A gravação tem pouco mais do que um minuto e mostra o fenômeno perfeitamente, onde o sol é coberto pela sombra da lua. Para estudiosos, esse é um “efeito simular ao de um anel de diamante da coroa lunar afetando a exposição da imagem em sua totalidade”.

A segunda tentativa para o primeiro filme

E na verdade essa foi a segunda tentativa do inventor de gravar o vídeo. Isso porque ele já havia tentado algo parecido em 1898, porém, sem sucesso. Em viagem à Índia, ele perdeu o vídeo devido a um roubo na viagem de volta. Acredita nisso?

A filmagem posterior deu certo e foi exibida por várias vezes, inclusive, como parte de um programa de mágica e de atos ilusionistas. Hoje, a British Film Instituto é quem toma conta das cenas, conseguindo até restaurar as imagens para uma qualidade de 4K. Veja aqui.

E a superlua

Recentemente, muito se falou sobre a superlua e nós vamos explicar os motivos disso e o que é exatamente esse fenômeno. Considere que o fenômeno acontece quando a lua chega bem perto da Terra em seu curso elíptico, que também tem o nome de perigeu.

Eclipse Lunar – descubra como acontece esse fenômeno
Foto: (reprodução/internet)

Logo, se isso acontece na fase cheia, o satélite parece estar 15% maior do que ele realmente é. Então, quando vemos, ele está 30% mais luminoso também. Ou seja, a superlua é essa ideia de lua grande, mas devido aos movimentos, o que causa uma espécie de ilusão de ótica.

Não é comum de a superlua acontecer, porém, ela aconteceu várias vezes em 2019, o que chamou a atenção dos cientistas astrônomos. É comum que ela fique uns 6 meses sem acontecer entre os períodos devido às fases da linha e o alinhamento dos astros.

O eclipse lunar com a superlua

O que aconteceu também, ainda que seja uma espécie de coincidência, é que em 2020 aconteceu um eclipse lunar com a superlua. Assim, o nome ficou sendo de Lua de Sangue. Isso porque a lua ficou com coloração vermelha, devido a penumbra da luz.

É possível que isso aconteça de novo, porém, ninguém ainda foi capaz de prever quando isso vai acontecer. Sobre o tom avermelhado, o que acontece é que a atmosfera terrestre pode desviar o curso da luz solar, que dá o tom de luminosidade mais fraca que o normal.

Esse é um evento de curta duração, que pode acontecer somente em algumas partes do planeta. Ele pode ser visto também ao nascer ou pôr do sol, o que vai depender da região observada. Da última vez, ele foi visto por australianos e neozelandeses.

O eclipse solar

O eclipse solar é igual ao eclipse lunar só que muda as posições de sol e lua, é isso? Calma lá, amigos. Eles são bem parecidos sim, só que há mudanças. Isso porque o eclipse solar tem a lua entre o sol e a Terra. Aí, há o bloqueio total ou parcial da luz solar para a Terra.

Nesse tipo de eclipse, o que acontece é que os três corpos celestes também precisam ficar alinhados. Só que não acontece na fase cheia da lua e sim na fase da lua nova. E vale considerar também os movimentos de angulações dos astros, hein. 

ANÚNCIO