PIX: o que é e como funciona esse sistema de pagamentos

O PIX surgiu como um sistema de pagamento incrivelmente vantajosa para os brasileiros. É mais rápida, é mais barata e mais simples. Praticamente todas as instituições financeiras já permitem a criação das chaves do PIX. E a gente vai contar tudo sobre isso nessa matéria.

Aliás, se você é alguém adepto ao PIX pelas facilidades que ele permite, mas ainda tem receio de usar com frequência, continue lendo. Aqui no texto, vamos direcionar o assunto justamente para falar da segurança do PIX, além das dúvidas frequentes sobre ele.

ANÚNCIO
PIX: o que é e como funciona esse sistema de pagamentos
Foto: (reprodução/internet)

Inclusive, os principais temas que nós separamos para essa leitura são:

  • O que é o PIX
  • Como funciona o PIX
  • Quais os benefícios do PIX
  • O aplicativo do PIX
  • Como cadastrar a chave no PIX
  • Como fazer um PIX
  • As novas funções do PIX
  • Os mitos sobre o PIX
  • Os golpes do PIX

O que é o PIX

O PIX tem sido um dos termos financeiros mais usados da atualidade no país todo. Afinal, ele se transformou no meio de pagamento mais comum entre as pessoas e as empresas. A criação por trás é do Banco Central do Brasil. Mas, o que é o PIX na prática?

PIX: o que é e como funciona esse sistema de pagamentos
Foto: (reprodução/internet)

O PIX é uma forma de transferir dinheiro entre contas. É como um DOC ou uma TED, que também são transferências bancárias. No entanto, com diversas vantagens que podem fazer com que o PIX dê fim ao DOC e a TED. Por quê? A gente explica no tópico sobre “benefícios do PIX”. 

Primeiro, considere que temos aqui um sistema para transferir dinheiro entre contas que acontece na hora. Isso mesmo: é instantâneo. E mesmo que seja sábado, domingo, feriado ou qualquer hora do dia, você pode fazer um PIX para pagar contas, compras e muito mais. 

O PIX na prática

Na prática, o PIX é uma forma de pagar compras, contas, transferir dinheiro e muito mais. Vamos à alguns exemplos para você entender isso de verdade. Ao fazer compra em um mercado, você pode pagar a partir do PIX. Como?

Você pode usar a sua carteira digital e ler o QR Code. Assim como dá para acessar a sua conta bancária pelo celular e fazer a transferência PIX para o caixa. Tudo é bem rápido. Cada loja/mercado prefere uma forma, mas a maioria permite a inserção de códigos para isso.

Ou seja, eles mantêm o QR Code disponível para clientes querem pagar com o PIX. Aliás, o mercado foi só um exemplo, ok? Esse tipo de transferência online pode ser feito em todo tipo de loja e até mesmo entre pessoas do país todo. Tem gente que nem usa o cartão mais, viu.

Como funciona o PIX

Você pode usar o PIX a partir de uma conta bancária. Portanto, quem não tem conta em banco não tem como usar o PIX. A boa notícia é que a sua conta pode ser de um banco digital também e não apenas uma conta da Caixa, do Banco do Brasil ou do Itaú, por exemplo. 

PIX: o que é e como funciona esse sistema de pagamentos
Foto: (reprodução/internet)

Ah, tem outra coisa boa aqui: o PIX pode ser feito a partir de uma conta poupança também ou mesmo uma conta de pagamento pré-paga. Dessa forma, Dessa forma, quem é titular de conta em banco pode usufruir o PIX. Mas, como usar o PIX, você quer saber, certo?

A primeira coisa é você ter uma chave cadastrada no PIX. O nome parece complicado, mas é bem fácil entender isso. Essa chave é uma espécie de código que vai manter as suas informações seguras. Ou seja, a partir dela, é possível autorizar transações. 

O que tem na chave do PIX

A sua criação da chave do PIX vai partir de uma informação pessoal ou de um código diferente. Ou seja, pode usar o número de telefone, do CPF/CNPJ ou o e-mail para que seja essa chave. Mas, você também pode criar uma chave aleatória.

Isto é, com números que não tenham a ver com os seus dados pessoais. A partir disso, quando você cria a sua chave do PIX, ela passa a conter todas as mais importantes informações bancárias que você tem, como número da conta, da agência, nome completo, etc.

Com isso, no PIX só precisa digitar a chave e não mais ficar preenchendo esses dados manualmente, como acontece nas transferências via TED ou DOC, por exemplo. As chaves são codificadas, ou melhor, são criptografadas e isso dão a ela segurança. 

Quais os benefícios do PIX

Se chegou até aqui já deve ter entendido algumas vantagens de usar o PIX. Só que a gente criou um tópico a mais para pontuar os principais desses benefícios. Veja só. Tem a chance de transferir dinheiro e pagar contas mais rapidamente do que qualquer outro meio.

PIX: o que é e como funciona esse sistema de pagamentos
Foto: (reprodução/internet)

Isso porque tudo acontece em segundos, independente do dia e da hora. É uma transferência online e que funciona 24 horas por dia. Tem mais: o processo é simples e gratuito. O que mais pode demorar é a criação da sua chave, só que após isso, tudo fica mais tranquilo.

Para concretizar a transferência do PIX, você vai precisar da sua senha da conta bancária e a chave de outra pessoa. Somente isso. Ah, e já falamos que é grátis, né? Então, ninguém mais precisa gastar dinheiro com as tarifas do DOC ou da TED, o que é outra grande vantagem.

Para quem dá para fazer um PIX

Ainda entre vantagens e benefícios do PIX, considere que temos a questão de fazer um PIX para pessoas e empresas. Só que isso soa um tanto quanto vago demais. Então, vamos trazer, de novo, o assunto para a prática porque isso permite aprender mais.

Hoje, pode fazer essa transferência online de dinheiro para amigos, estabelecimentos comerciais (lojas físicas e lojas online), prestadores de serviços, fornecedores, órgãos públicos, serviços públicos, contribuição social. Ou seja, para quase todo mundo, né.

E aí você pergunta: mas, quais as regras ou limites do PIX? Na verdade, não há limite mínimo para o PIX. E, no geral, também não há valores máximos. Porém, algumas instituições e bancos podem usar critérios mais rígidos para evitar fraudes, como lavagem de dinheiro. 

O PIX tem aplicativo?

A partir desse tópico, você vai começar a entender como fazer um PIX. Para isso, o primeiro passo é entender que não existe um aplicativo do PIX. Não. Isso porque a chave do PIX é cadastrada a partir de uma conta bancária, lembra?

PIX: o que é e como funciona esse sistema de pagamentos
Foto: (reprodução/internet)

Então, você vai cadastrar essa chave no aplicativo do banco onde você tem a conta. Se você não usa o app de forma recorrente, saiba que ainda assim será possível fazer o PIX, mas desde que você acesse o internet banking do seu banco, que é o canal da internet, no navegador.

De todo modo, a regra é a mesma: usar uma conta do banco para fazer o PIX. Até se você for no caixa da agência dá para fazer um PIX ao invés de fazer uma TED/DOC porque isso sai mais barato, né. Bom, então, não há aplicativo do PIX e sim dos bancos, ok?

Como receber o PIX

Inclusive, a conta em banco, que pode ser acessada pelo internet banking ou app, além das agências bancárias, vai ser importante para você receber o PIX e não apenas fazer o PIX. Alguma empresa pode pagar pelo PIX assim como amigos podem transferir.

Então, o dinheiro vai cair na conta do banco. Ah, e caso tenha várias contas em bancos pode estar com dúvida sobre isso. Saiba que dá para ter várias chaves do PIX, sendo uma para cada banco. Só que é preciso organização para se lembrar de todas as chaves depois.

E tem outro detalhe importante aqui: você até pode receber o PIX sem a chave do PIX e até mesmo dá para enviar PIX sem a chave. No entanto, não é isso que o Banco Central recomenda. Portanto, vamos ver como dá para criar essa chave em passos simples. Confira!

Como cadastrar a chave no PIX

Agora, a pergunta que mais gera dúvidas nas pessoas sobre o PIX: como registrar as minhas chaves do PIX? Para isso, você pode usar qualquer um dos canais de comunicação e aplicativo do banco. Geralmente, o que é mais comum pela facilidade, é o uso do aplicativo do banco.

PIX: o que é e como funciona esse sistema de pagamentos
Foto: (reprodução/internet)

Para efetivar o registro, você vai precisar confirmar a posse da sua chave e vincular ela a uma conta, que é para onde vão os recursos que você receber. Essa confirmação acontece por envio de um código por SMS para seu telefone celular ou para o e-mail. 

Alguns bancos permitem essa confirmação pela biometria também ou ainda pelo reconhecimento facial. O importante aqui é saber que você pode cadastrar a sua chave PIX apenas escolhendo o seu número, que pode ser e-mail, celular, CPF ou aleatório.

As regras sobre as chaves no PIX

Atualmente, o Banco Central permite que cada pessoa física tenha até 5 chaves vinculadas a ela. As pessoas jurídicas, que são empresas, podem ter até 20 chaves PIX. Para quem tem mais do que uma conta, dá para criar chaves diferentes em cada uma delas. 

Mas, não dá para usar a mesma chave em mais de uma conta, entendeu? O seu CPF só vai ser a chave do PIX de uma conta. Isto é, não dá para usar a mesma chave do PIX em vários bancos. Ainda que seja possível ter várias chaves, diferentes, em diversos bancos.

Para quem mudou de conta/banco, existe a opção de fazer a portabilidade da chave. Ou é possível excluir o cadastro dessa chave PIX. Para qualquer uma dessas ações, procure a opção de “PIX” dentro do aplicativo do seu banco para seguir os passos indicados. 

Como fazer um PIX

Nesse tópico, nós vamos considerar que você já tenha criado uma chave PIX, ok? A partir disso, leve em conta que para fazer um PIX é possível usar várias formas. Por exemplo, você pode usar o app do banco e ler um QR Code no estabelecimento comercial.

PIX: o que é e como funciona esse sistema de pagamentos
Foto: (reprodução/internet)

Também dá para usar o famoso “PIX Copia e Cola”. Geralmente, esse caso é usado para quem vai fazer pagamento de compras online na internet. Aí, ao invés de ler o QR Code, você vai copiar o código que é informado pela loja/empresa online. 

Também dá para fazer o PIX digitando a chave da outra pessoa ou empresa. Aliás, esse é o canal mais comum para o PIX hoje em dia. Seja na loja, na escola, no restaurante ou no posto de combustível. É só você pedir a chave do PIX, entrar no seu app do banco e transferir o dinheiro. 

Dá para fazer um PIX no crédito?

A página de dúvidas sobre o PIX vai vim logo na sequência, mas já adiantamos uma aqui. Muita gente acha que dá para usar o PIX para pagar no crédito. Mas, isso não acontece. Isso porque o PIX vai usar os recursos financeiros que você tem na conta bancária.

Ou seja, se não tem saldo em conta, então, não dá para fazer um PIX. É exatamente como uma transferência de TED ou DOC, entendeu? E não como um cartão de crédito. Por isso, é preciso muita atenção nessa hora para não se complicar.

Isso porque tem gente que tem o cheque especial na conta bancária. Aí, se fizer um PIX e não tiver saldo lá, o recurso é transferido desse “empréstimo”, o que é ruim porque acaba resultando em juros. Então, verifique o saldo da conta antes de fazer o PIX.

As novas funções do PIX: agendamento, saque e troco

A função de agendar um PIX não é tão nova assim. Ela permite que os usuários possam agendar PIX para uma data futura. É exatamente igual acontece com o DOC ou com a TED ou no pagamento de boletos. Isso é real e já está valendo.

PIX: o que é e como funciona esse sistema de pagamentos
Foto: (reprodução/internet)

Mas, aí vem as novidades, que estão marcadas para o fim de 2021. O PIX Saque é uma opção para pessoa jurídica, como estabelecimentos comerciais, que vão poder permitir que clientes façam saques em dinheiro a partir do PIX. É uma troca, onde o cliente pega o valor em cédulas.

Já a opção do PIX Troco é para o caso de quando o dinheiro físico é recebido como diferença entre o valor da compra e o valor pago no estabelecimento comercial. Se a pessoa comprou algo por R$ 100 e fez um PIX de R$ 150, o comércio pode devolver R$ 50 em espécie. 

Os custos das novas funções do PIX

Para quem está pensando em usar essas novas funções do PIX, considere que pessoas físicas e MEIs poderão usar até 8 saques gratuitos no PIX ou mesmo do PIX Troco. Por outro lado, estabelecimentos comerciais terão uma vantagem nisso.

Assim, eles poderão receber de R$ 0,25 até R$ 0,95 por cada operação. Ainda sobre as regras, o Banco Central disse que haverá valores máximos por dia. O PIX Saque e o PIX Troco só podem chegar a R$ 500 durante o dia ou R$ 100 durante a noite (20 horas até 6 horas).

Para usar as novas funções, o cliente precisa ir até um estabelecimento comercial ou agentes de saque ofertem esse tipo de serviço. Aí, após a autenticação do pagamento, o valor da transferência é recebido em dinheiro. Para lojistas, é preciso verificar a tabela de preços.

Os mitos sobre o PIX

Os dois últimos tópicos do texto são para citar a questão dos golpes com o PIX e da segurança do PIX. Só que antes disso, a gente vai trazer aqui alguns mitos que devem ser considerados desde já porque confundem a cabeça de muita gente. 

PIX: o que é e como funciona esse sistema de pagamentos
Foto: (reprodução/internet)

O primeiro é o fato de que o PIX é um só. Ou seja, cada banco não tem o seu próprio PIX. Os bancos são importantes para serem o caminho, mas eles também seguem as regras do Banco Central, de forma igualitária. Ou seja, no banco grande ou pequeno, o PIX funciona da mesma forma.

Mencionamos acima que o DOC, as TEDs e até mesmo boletos bancários ou cartões podem sumir com o PIX. Essa também não é uma verdade, ainda que possa ser algo que vá acontecer no futuro. É algo que pode acontecer um dia, mas ainda não é real.

Os bancos podem cobrar tarifas no PIX

Aqui, um mito que pode ser até mesmo uma forma de golpe com o PIX. Saiba que o PIX é gratuito para pessoas físicas. Essa é a verdade. Mas, há sim casos em que podem haver cobranças no PIX e vamos explicar melhor isso.

Se a pessoa vai até um canal presencial, com um caixa de uma agência, ou usa meios pessoais, como telefone, então, pode ter uma tarifa para a cobrança do PIX. Mas, a maioria das instituições financeiras não cobram por isso hoje em dia. 

Outra coisa é que a pessoa jurídica tem sim cobrança, diferente da pessoa física. Essa cobrança pode variar de instituição para instituição, mas até aqui tem se mostrado mais vantajosa do que as taxas cobradas nas maquininhas de cartões, por exemplo. 

Os golpes do PIX

Acima, vimos que o uso de chaves do PIX facilita demais a vida das pessoas e empresas. No entanto, será que ter todas as informações importantes em um único código não é arriscado demais? De fato, cibercriminosos estão tentando se aproveitar disso.

PIX: o que é e como funciona esse sistema de pagamentos
Foto: (reprodução/internet)

Para cada nova tentativa de golpe, os bancos e o BC estão tentando criar soluções. Só para se ter uma ideia disso, quando há a mudança de número de celular, que era chave do PIX antes, a instituição financeira pedirá a confirmação do antigo número ao dono da conta. 

Muita gente também tem medo no caso de serem assaltadas ou roubadas. E se perderem o celular? Os estudiosos dizem que os criminosos ainda precisaram das senhas de confirmação da transação e a senha do aplicativo do banco.

E se eu cair em um golpe do PIX?

Ainda que tenha toda essa revolução tecnológica para aumentar a segurança do PIX, considere que há casos de golpes que se concretizaram no país todo. O problema é que por ser instantânea, a transação pode não ter como ser “evitada” ou “cancelada”.

Se a transferência foi feita por engano dá para usar a função de “devolver o PIX”, que está disponível. No entanto, se for mesmo um golpe ou uma fraude, o usuário ficaria no prejuízo. Mas, calma, não é bem assim que funciona. 

Quando a fraude do PIX é comprovada, há um processo para o estorno dos recursos financeiros para o cliente. E isso depende da atuação de cada banco, que pode oferecer alternativas aos clientes, como criar um novo cadastro para a conta. 

A segurança do PIX

Ao mesmo tempo em que se fala em golpes ou tentativas de fraudes no PIX, os órgãos regulamentadores e o próprio Banco Central também cita a inovação que tem acontecido por trás desse sistema de pagamentos em termos de segurança cibernética. 

PIX: o que é e como funciona esse sistema de pagamentos
Foto: (reprodução/internet)

Há alguns meses, o Banco Central divulgou uma espécie de manual de segurança para o uso do PIX. Lá há várias dicas básicas para quem usa essa tendência financeira. Em resumo, o BC diz que o PIX usa os mesmos protocolos de segurança de todo Sistema Financeiro Nacional. 

Além do mais, cita as “camadas de segurança” que são oferecidas pelas instituições financeiras, seja através de códigos para comprovação de transação, de biometrias, de cadastros atualizados, reconhecimento facial, entre outras tecnologias. 

A criptografia e a autenticação

A gente chegou a falar disso acima, mas de maneira muito superficial. Em resumo, o BC diz que o PIX deve fucionar a partir dessas duas medidas de segurança. E nós vamos resumir cada uma delas para você entender em detalhes. Veja só!

Criptografia é a construção de protocolos que impedem pessoas ou tecnologias de lerem as mensagens privadas. É o que várias redes sociais usam. Isso impede a intercepção de informações e, no caso do PIX, de transferências entre contas financeiras. 

Já a autenticação é uma forma de confirmar a identidade do cliente e do agente financeiro. Logo, dá para fazer isso com envio de SMS, e-mail, reconhecimentos, senhas. Isso inclui a senha do app e a senha da transação, por exemplo. 

Onde saber mais sobre o PIX

Quem está por trás do PIX no Brasil é o Banco Central. Sendo assim, ele criou uma página exclusiva para falar desse assunto. Por ela, você pode acessar as dúvidas mais frequentes do PIX, saber o papel do BC e entender o que é o PIX.

Aliás, lá tem até uma espécie de arquivo, onde dá para encontrar a regulamentação relacionada ao PIX, o registro de reclamação contra a instituição para quem tem dúvidas, os Índices PIX, uma galeria de vídeos ou mesmo história em quadrinhos do PIX. Para saber mais, clique aqui.

ANÚNCIO