Crise faz muitas pessoas virarem MEI em 2019

O número de microempreendedores individuais já supera a marca de 8 milhões, segundo dados do Portal do Empreendedor, do Governo Federal.

ANÚNCIO

A fim de driblar a crise do desemprego, muitos brasileiros estão optando por abrir seu próprio negócio e trabalhar por conta própria, tornando-se microempreendedores.  O número de microempreendedores individuais já supera a marca de 8 milhões, segundo dados do Portal do Empreendedor, do Governo Federal.

MEI
Foto: (reprodução/internet)

O programa foi criado em 2008 a partir da lei 128, e em 2019, completa 10 anos em que o Governo Federal começou a considerar os serviços prestados por microempreendedores.  Foi lançado para incentivar a formalização de trabalhadores autônomos e pequenos negócios como vendedores, eletricistas, doceiros, cabeleireiros, manicures e entre outros a um baixo custo.

O desemprego no Brasil

Segundo dados do IBGE, publicados no mês de abril, o desemprego atinge atualmente mais de 13 milhões de brasileiros. Preocupados em ficar fora do mercado de trabalho ou se inserirem na informalidade perdendo diversos direitos trabalhistas, os brasileiros têm assumido o microempreendedorismo individual como uma alternativa de enfrentamento ao desemprego. 

Segundo os dados, o maior número de microempreendedores individuais está na faixa dos 31 aos 40 anos, que reúne mais de 2,5 milhões de pessoas (31% dos brasileiros). Mas o registro formal também ganhou destaque entre os jovens: atualmente mais de 1,7 milhão (22%) possuem entre até 30 anos.

Os maiores responsáveis pela popularização deste modelo de trabalho são os aplicativos de entrega e serviços a domicílio, transporte e entre outros. Aplicativos como UberEats, o Rappi, o IFood, o Shipp impulsionaram o registro de MEIs.

Basta que o trabalhador tenha uma bicicleta ou veículo automotor e seja registrado no serviços de MEI para começar a trabalhar. Segundo levantamento do Sebrae, nos últimos 15 meses, foram mais de 36 mil novos cadastros nesta categoria, elevando para 91 mil o número de MEIs que atuam nesta atividade.

ANÚNCIO

As categorias mais procuradas

Segundo o Sebrae, as categorias com o maior número de registros são as de:

  • Promoção de vendas (mais de 59.538);
  • Cabeleireiros, manicure e pedicure (mais de 43.695);
  • Serviços domésticos (mais de 39.630);
  • Preparação de documentos e serviços especializados de apoio administrativo (mais de 36.321);
  • Serviços de entrega rápida (mais de 32.660);
  • Obras de alvenaria (mais de 26.838);
  • Atividades de ensino (mais de 23.616);
  • Treinamento em desenvolvimento profissional e gerencial (mais de 19.213);
  • Apoio e assistência a paciente no domicílio (mais de 19.071);
  • Transporte rodoviário de carga (mais de 18.025);
  • Fornecimento de alimentos (mais de 11.249);
  • Serviço de táxi (mais de 8.619).

Como se inscrever

No site do Sebrae, é possível encontrar todo o procedimento, passo a passo, para que o interessado se registre realize a inscrição no MEI. 

A inscrição é feita no portal do empreendedor e o interessado deve ter em mãos documentos como o Nº de Protocolo de entrega do Imposto de Renda Pessoa Física ou CPF e Título de Eleitor.

Caso o interessado não consiga realizar o cadastro sozinho, ele pode buscar uma unidade do Sebrae e terá apoio e orientação dos profissionais.