Ave canora metade macho, metade fêmea descoberta na Pensilvânia

ANÚNCIO
Ave canora metade macho, metade fêmea descoberta na Pensilvânia
Foto: (reprodução/internet)

Biólogos fizeram recentemente uma descoberta “única na vida” de um pássaro que é macho no lado direito e fêmea no esquerdo.

Os pesquisadores capturaram o pássaro, um grosbeak-de-peito-rosa (Pheucticus ludovicianus), na Reserva Natural Powdermill do Museu Carnegie de História Natural, um centro de pesquisa ambiental em Rector, Pensilvânia.

ANÚNCIO

Macho à direita e fêmea à esquerda

As cores da plumagem geralmente sinalizam se um grosbeak é macho ou fêmea, mas esta ave tem tons característicos de ambos os sexos.

Os cientistas que capturaram o pássaro viram a coloração masculina – “poços” de asas rosa, um respingo vermelho no peito e penas pretas nas asas – no lado direito de seu corpo.

Mas a asa esquerda do pássaro era mais marrom e tinha “caroços” amarelos, uma combinação de cores encontrada nas fêmeas, disseram representantes do museu em um comunicado.

ANÚNCIO

Falha genética

Essa condição, na qual um animal possui características masculinas e femininas divididas ao meio de seu corpo, é chamada de ginandromorfismo bilateral. Em pássaros, acredita-se que a ginandromorfia seja decorrente de um erro durante a formação do ovo.

Ovos não fertilizados geralmente contêm um cromossomo sexual: um Z ou um W (os pássaros machos são ZZ, enquanto as fêmeas são ZW). Mas muito raramente, um ovo se desenvolve com dois núcleos, um contendo um cromossomo Z e o outro um cromossomo W.

Se este óvulo for fertilizado, ele se une ao espermatozoide que carrega o cromossomo Z para produzir um embrião com algumas células que são ZZ, produzindo características masculinas, e algumas que são ZW, produzindo características femininas, relatou a revista Natural History .

“Capturamos o pássaro durante as operações normais de anilhamento”, disse Annie Lindsay, gerente do programa de anilhamento de pássaros do Avian Research Center (ARC) do Powdermill.

“O pássaro recebeu uma faixa numerada individualmente, assim como todos os pássaros que pegamos”, disse Lindsay.

Veja também: Asteroide, meteoro, meteorito e cometa: qual é a diferença?

Os cientistas registraram a idade, sexo e medidas corporais do grosbeak. Eles então coletaram penas para análise genética e tiraram fotos e vídeos antes de soltar o pássaro.

“Todos os membros da tripulação da anilhagem expressaram surpresa e alegria ao experimentar a anilhamento desse pássaro raro”, disse Lindsay.

Raro e incomum

Os pesquisadores identificaram a ginandromorfia em muitos animais, incluindo crustáceos, aranhas, pássaros, borboletas e abelhas. Mas os ginandromorfos são raros, então pouquíssimos animais expressam a característica.

O ARC coleta e anilha pássaros desde 1961, e seu conjunto de dados contém mais de 800 mil registros. Nesse período, os cientistas documentaram apenas cinco exemplos de ginandromorfos bilaterais, disse Lindsay.

Os grosbeaks machos de peito rosa são mais coloridos e mais impressionantes visualmente do que as fêmeas. Suas cabeças e costas são de um preto profundo com manchas brancas, e seus peitos nevados são marcados com um toque de vermelho vivo sob suas gargantas, de acordo com o Laboratório Cornell de Ornitologia.

As fêmeas, por outro lado, exibem tons terrosos de marrom e creme, com um peito pálido e salpicado e uma “sobrancelha” branca, de acordo com o Laboratório Cornell.

Curiosamente, os machos imaturos compartilham alguma coloração em comum com as fêmeas, como a sobrancelha branca e manchas escuras ao redor da garganta e do peito.

Como os ginandromorfos são tão raros, muitas perguntas sobre seus traços sexuais e comportamento permanecem sem resposta. Por exemplo, os cientistas não sabem se este grosbeak será capaz de se reproduzir – embora “em teoria, isso seja possível”, disse Lindsay.

“Nas aves canoras fêmeas, o ovário esquerdo é o ovário funcional e, como o lado esquerdo dessa ave é o lado feminino, pode ser capaz de produzir ovos viáveis”, explicou Lindsay.

“No entanto, o pássaro também precisaria se comportar como uma fêmea para atrair um parceiro macho, e isso não é algo que podemos observar durante as operações normais de anilhamento”, acrescentou ela.

Traduzido e adaptado por equipe Conhecimento Agora

Fonte: Live Science

ANÚNCIO