Asteroide, meteoro, meteorito e cometa: qual é a diferença?

ANÚNCIO
Asteroide, meteoro, meteorito e cometa: qual é a diferença?
Foto: (reprodução/internet)

Somando toda a massa em cada asteroide em todo o nosso sistema solar totaliza apenas menos do que a massa da nossa lua. Apesar de seu pequeno tamanho físico, no entanto, essas rochas espaciais oferecem pistas importantes sobre como nosso sistema solar se formou.

Os termos asteroide, meteoro, meteorito e até mesmo cometa são frequentemente usados ​​de forma intercambiável… mas qual é a diferença?

ANÚNCIO

O que é um asteroide?

Asteroides são objetos rochosos menores do que os planetas que sobraram da formação do nosso sistema solar.

Quando a nuvem de gás e poeira colapsou para formar nosso sol, muito do material remanescente foi para a formação dos planetas terrestres rochosos e gigantes gasosos que orbitam nossa estrela. Fragmentos de poeira menores que nunca chegaram aos planetas são deixados para trás como asteroides.

Dos milhões de asteroides conhecidos, o maior é Ceres, com 940 quilômetros de largura, embora Ceres tenha sido recentemente reclassificado como planeta anão. Felizmente, não esperamos cruzar o caminho com este corpo do sistema solar do tamanho do estado do Texas (EUA) tão cedo.

ANÚNCIO

A NASA rastreia um subconjunto de asteroides, chamados de “objetos próximos à Terra” ou NEOs, cujas trajetórias foram empurradas e puxadas gravitacionalmente por planetas próximos o suficiente para que eles possam passar perto da Terra.

Graças aos levantamentos infravermelhos do céu, como as missões WISE e NEOWISE da NASA, sabemos de cerca de 1000 asteroides próximos à Terra com mais de 1000 metros de diâmetro e mais 1500 que vão de 500 a 1000 metros de largura.

A quantidade de asteroides menores próximos da Terra, conhecidos e previstos com base em análises estatísticas, chega a 18 mil.

A maioria não é redonda como os planetas, mas sim de forma irregular, às vezes devido a impactos repetidos ao longo do tempo. Eles também são conhecidos por orbitarem uns aos outros, fazendo seu caminho ao redor do Sol em pares ou pequenos grupos.

Eles não são grandes o suficiente para manter sua própria atmosfera e suas composições variam, principalmente devido ao local onde foram formados, em particular a distância que estavam do sol quando se originaram.

A maioria dos asteroides reside no cinturão de asteroides, o espaço entre as órbitas de Marte e Júpiter, provavelmente porque a atração gravitacional de Júpiter os impediu de se acumularem em um sistema planetário maior. Alguns asteroides também são encontrados nos caminhos orbitais de planetas como a Terra.

Veja também: Fitas de Möbius: Tão simples de criar, tão difíceis de entender

Até recentemente, todos os asteroides conhecidos orbitavam nosso Sol como membros do nosso sistema solar, mas isso mudou em outubro de 2017, quando os astrônomos descobriram o primeiro visitante interestelar apenas passando por nossa vizinhança solar.

Chamado de ‘Oumuamua, que vem da palavra havaiana para “batedor”, o asteroide tem uma forma alongada incomum (243 por 30 metros de tamanho) e está se movendo rápido demais para ser capturado pela atração gravitacional do nosso sol.

Isso significa que ‘Oumuamua eventualmente nos deixará e continuará em sua jornada através do espaço interestelar.

O que é um cometa?

Os cometas também são compostos de material que sobrou da formação de nosso sistema solar e se formaram na mesma época que os asteroides.

No entanto, asteroides se formaram em direção às regiões internas de nosso sistema solar, onde as temperaturas eram mais altas e, portanto, apenas rochas ou metais podiam permanecer sólidos sem derreter.

Os cometas se formaram mais distantes do Sol, além do que chamamos de linha de geada ou neve e além das órbitas de Marte e Júpiter, onde as temperaturas eram baixas o suficiente para que a água congelasse.

Os cometas são, portanto, pedaços de gás congelado, rocha, gelo e poeira que orbitam nosso Sol, ganhando o apelido de bolas de neve sujas. Eles são identificados por suas caudas, que consistem em jatos de gás e poeira que foram derretidos quando um cometa se aproxima muito do sol.

O que são meteoro e meteorito?

Um meteoro é simplesmente um asteroide que tenta pousar na Terra, mas é vaporizado pela atmosfera terrestre. A resistência da rocha devido à atmosfera terrestre faz com que sua temperatura suba.

Às vezes, vemos o ar quente brilhante criado por esses meteoros em chamas e os chamamos de “estrelas cadentes”. As chuvas de meteoros ocorrem quando a Terra passa por muitos meteoros ao mesmo tempo.

Por exemplo, se pedaços de um cometa derretem ao passar perto do sol, esses fragmentos podem ser deixados para trás para mais tarde deslumbrar os terráqueos com uma chuva de meteoros.

Meteoritos são meteoros que sobrevivem ao mergulho na atmosfera terrestre e conseguem pousar na superfície do nosso planeta. Eles são tipicamente compostos de ferro ou pedra, ou seja, uma mistura de oxigênio, silício, magnésio, ferro e outros elementos.

Estudar asteroides nos ajuda a entender a formação de nosso sistema solar e como nosso planeta surgiu. Não precisamos apenas esperar que os meteoritos nos encontrem para saber mais sobre sua composição. A missão OSIRIS-Rex ao asteroide Bennu tem como objetivo coletar amostras do asteroide e trazê-las de volta à Terra.

Traduzido e adaptado por equipe Conhecimento Agora

Fonte: Mental Floss

ANÚNCIO