Saiba qual o banco com mais bilhões acumulados

A crise chega para todo mundo, ou ao menos é isso que se pensa ao analisar as várias empresas que hoje vivem em um cenário econômico caótico. O que não é o caso dos bancos. As instituições financeiras, mesmo em contextos mais delicados, continuam sendo as mais ricas do país, acumulando bilhões em patrimônio em seus cofres.

Com uma quantia que chega até mesmo à casa dos trilhões atualmente, os bancos, mesmo em cenários negativos, continuam com seus lucros em dia e com capacidade de crescimento gigantesca. Se você quer conferir quais são os bancos com mais dinheiro acumulado, cheque a nossa lista para conhecer os mais ricos.

ANÚNCIO
Saiba qual o banco com mais bilhões acumulados
Foto: (reprodução/internet)

Em nosso texto, você poderá conferir as seguintes informações sobre os bancos mais ricos:

  • Confira quais são os bancos mais ricos do Brasil;
  • Têm mais dinheiro, mas não são os melhores;
  • Ranking dos bancos mais ricos do mundo;
  • China ainda não é a maior economia do mundo.

Confira quais são os bancos mais ricos do Brasil

Hoje, o Brasil conta com uma grande quantidade de bancos, com todos eles disponibilizando condições especiais para a concessão de crédito e produtos de qualidade para seus clientes. A maioria é de iniciativa privada, mas alguns públicos também conseguem destaque no meio.

Saiba qual o banco com mais bilhões acumulados
Foto: (reprodução/internet)

Apesar do cenário ser mais tecnológico atualmente, o que favorece as instituições mais modernas em detrimento dos bancos tradicionais do mercado, ainda são estes bancos os que ocupam o topo da lista, afinal, tiveram mais tempo para acumular dinheiro, diferente do Nubank ou do Inter, por exemplo.

Para a surpresa de algumas pessoas, a casa do patrimônio de alguns bancos já ultrapassou 1 trilhão, não sendo possível nem mesmo mensurar o dinheiro em bilhões. Confira quais são os bancos mais ricos do Brasil, segundo dados do portal Top 10 Mais:

  • 10º – Banco Votorantim: R$ 105.5 bilhões;
  • 9º – Banco Safra: R$ 145 bilhões;
  • 8º – HSBC: R$ 168 bilhões;
  • 7º – BTG Pactual: R$ 215.4 bilhões;
  • 6º – Santander: R$ 605.2 bilhões;
  • 5º – BNDES: R$ 877.2 bilhões;
  • 4º – Caixa: R$ 1,078 trilhão;
  • 3º – Bradesco: R$ 1,080 trilhão;
  • 2º – Banco do Brasil: R$ 1,441 trilhão;
  • 1º – Itaú Unibanco: R$ 1,448 trilhão.

Pódio do Itaú tem justificativa

Muitos estranham o Itaú estar no topo da lista, na frente até mesmo do Banco do Brasil, instituição pública e que conta com milhões de clientes ao redor do país. A resposta para isso está em anos atrás, quando o Itaú e o Unibanco resolveram se unir. Os dois bancos já eram grandes antes disso acontecer.

Após dois dos maiores bancos do Brasil se unirem em um só, o Itaú Unibanco conseguiu se tornar a maior instituição financeira do país. Porém, como podemos perceber ao analisar os números, o Banco do Brasil, mesmo sozinho, não fica com um patrimônio muito menor, e pode ser que tome o topo nos próximos anos.

Têm mais dinheiro, mas não são os melhores

Ter muito dinheiro não significa que isso vá te tornar um exemplo de qualidade dentro do seu meio. E uma prova disso são os bancos, que, mesmo os mais ricos, não acabam figurando entre as primeiras posições dos rankings de melhores bancos do Brasil, de acordo com dados divulgados pela Forbes.

Saiba qual o banco com mais bilhões acumulados
Foto: (reprodução/internet)

Muitos dos melhores bancos são os mais modernos, que prezam pela comodidade dos seus clientes na resolução de problemas e também no fácil acesso à informações importantes da sua vida financeira. A maioria é jovem, com o primeiro lugar da lista, por exemplo, tendo sido fundado em 2013.

Comodidade, segurança e um atendimento de qualidade são alguns dos fatores que contribuem para que um banco seja bem avaliado entre o público. Confira aqui quais são os 15 melhores bancos do Brasil, segundo a Forbes:

  • 15º – Banrisul;
  • 14º – Sicoob;
  • 13º – Banco Original;
  • 12º – Bradesco;
  • 11º – Santander;
  • 10º – Caixa;
  • 9º – Banco BMG;
  • 8º – Itaú Unibanco;
  • 7º – Sicredi;
  • 6º – Next;
  • 5º – Neon;
  • 4º – PagBank;
  • 3º – C6 Bank;
  • 2º – Banco Inter;
  • 1º – Nubank.

Taxas menores estão tornando as fintechs mais populares

Outro fator que colabora para que as fintechs tenham tomado de conta do mercado, e se destacarem pela qualidade do serviço prestado, são as taxas de juros mais acessíveis. A maioria delas cobra menos de crédito rotativo, parcelamento de fatura, e outras questões relacionadas à dívidas.

Além disso, algumas delas acabam não cobrando tarifa de manutenção na conta, nem taxa de anuidade em cartões de crédito, o que faz com que os clientes poupem mais dinheiro. Os bancos tradicionais, apesar de serem mais ricos, estão perdendo nesse quesito.

Ranking dos bancos mais ricos do mundo

Apesar de ter uma quantia considerável de dinheiro, o Itaú Unibanco não chega nem perto de entrar no ranking dos bancos mais ricos do mundo, já que o real, ao menos hoje, está extremamente desvalorizado no mercado, com 1 dólar chegando a valer mais do que 5 reais.

Saiba qual o banco com mais bilhões acumulados
Foto: (reprodução/internet)

Isso faz com que um banco que tenha “apenas” 500 bilhões de dólares de patrimônio no exterior, já seja mais rico do que a instituição financeira de maior êxito do Brasil. Esperamos que o panorama mude com o tempo, porém, atualmente, é difícil imaginar um cenário otimista para os bancos brasileiros.

De acordo com dados recentes, divulgados pela S&P Global, até mesmo o 20º banco com mais poder econômico no mundo está muito à frente do Itaú. Confira o ranking dos bancos mais ricos do mundo atualmente, com os valores sendo apresentados em dólares:

  • 20º – Groupe BPCE (França): US$ 1,463 trilhão;
  • 19º – Deutsche Bank (Alemanha): US$ 1,627 trilhão;
  • 18º – Societé Générale (França): US$ 1,632 trilhão;
  • 17º – Postal Savings (Inglaterra): US$ 1,684 trilhão;
  • 16º – Banco Santander (Espanha): US$ 1,829 trilhão;
  • 15º – Wells Fargo (Estados Unidos): US$ 1,922 trilhão;
  • 14º – Mizuho Financial Group (Japão): US$ 2,094 trilhões;
  • 13º – Sumitomo Mitsui (Japão): US$ 2,139 trilhões;
  • 12º – Japan Post Bank (Japão): US$ 2,140 trilhões;
  • 11º – Citigroup (Estados Unidos): US$ 2,234 trilhões;
  • 10º – Crédit Agricole Group (França): US$ 2,386 trilhões;
  • 9º – Bank of America (Estados Unidos): US$ 2,738 trilhões;
  • 8º – BNP Paribas (França): US$ 2,946 trilhões;
  • 7º – HSBC Holdings (Reino Unido): US$ 2,956 trilhões;
  • 6º – JP Morgan Chase (Estados Unidos): US$ 3,246 trilhões;
  • 5º – Mitsubishi UFG (Japão): US$ 3,354 trilhões;
  • 4º – Bank of China (China): US$ 3,627 trilhões;
  • 3º – China Construction Bank (China): US$ 3,652 trilhões;
  • 2º – Agricultural Bank of China (China): US$ 4,008 trilhões;
  • 1º – Industrial and Commercial Bank of China (China): US$ 4,913 trilhões.

China ainda não é a maior economia do mundo

Apesar de contar com os bancos mais poderosos do mundo, e com uma crescente a cada ano que passa, a China ainda não é a maior economia do mundo. O posto, como você já deve esperar, pertence aos Estados Unidos, país que, mesmo durante as piores crises, consegue fortalecer sua moeda dentro do mercado.

Saiba qual o banco com mais bilhões acumulados
Foto: (reprodução/internet)

Além disso, por conta da crise econômica enfrentada recentemente, o Brasil acabou perdendo posições, ficando fora até mesmo do top 10. Os dados divulgados pela Austin Rating tomam como base o PIB do país em valor corrente, convertido para o dólar, moeda que, como dissemos, está muito valorizada em comparação com o real.

A previsão para o país não é das melhores nos próximos anos, mas a Rússia também vive cenário delicado, o que pode fazer o Brasil ganhar ao menos uma posição. Confira agora o ranking dos países com as maiores economias do mundo atualmente:

  • 15º – Indonésia: 1.088,8;
  • 14º – Espanha: 1.247,5;
  • 13º – Austrália: 1.334,7;
  • 12º – Brasil: 1.420,6;
  • 11º – Rússia: 1.464,1;
  • 10º – Coréia do Sul: 1.586,8;
  • 9º – Canadá: 1.600,3;
  • 8º – Itália: 1.848,2;
  • 7º – França: 2.551,5;
  • 6º – Índia: 2.592,6;
  • 5º – Reino Unido: 2.638,3;
  • 4º – Alemanha: 3.780,6;
  • 3º – Japão: 4.910,6;
  • 2º – China: 14.860,8;
  • 1º – Estados Unidos: 20.807,3.

Austrália pode ultrapassar o Brasil

Mesmo tendo um território consideravelmente menor do que o Brasil, e sem a possibilidade de explorar tanto o próprio solo, a Austrália vem dando passos largos para ultrapassar o Brasil. Apesar disso, justamente por conta de aspectos geográficos, isso se torna difícil de acontecer.

Porém, um país tão menor que a gente, estar tão próximo de nos ultrapassar em questões econômicas, nos mostra o quanto estamos enfrentando problemas nesse campo, e, se nenhuma medida drástica for tomada, é bem provável que consigamos fazer o que antes julgávamos ser impossível.

Apesar das crises, bancos continuam fortes

A crise pode assolar um país durante anos, mas a verdade é que o sistema bancário, como podemos ver, é imune a esse tipo de situação, já que o Brasil passa por cenário delicado durante anos, mas, mesmo assim, existem bancos que conseguem lucrar trilhões de reais.

Apesar disso parecer ser bom, acaba tornando a população, e até mesmo os grandes investidores, reféns das grandes instituições financeiras, que, mesmo em crise, conseguem sair no lucro, graças à concessão de crédito para as diferentes faixas de renda do nosso povo. Porém, com a moeda desvalorizada, isso não adianta muita coisa para os banqueiros.

ANÚNCIO