Naufrágio nazista pode conter tesouros saqueados da ‘Sala Âmbar’ do palácio russo

ANÚNCIO
Naufrágio nazista pode conter tesouros saqueados da 'Sala Âmbar' do palácio russo
Foto: (reprodução/internet)

Os destroços de um navio a vapor alemão afundado no final da Segunda Guerra Mundial foram encontrados por mergulhadores. E as caixas a bordo do navio submerso poderiam conter um tesouro especial: os preciosos móveis da Sala Âmbar perdida do século 18, que os soldados alemães saquearam de um palácio real russo.

O naufrágio foi encontrado ao norte da cidade litorânea polonesa de Ustka, a uma profundidade de 88 metros, depois de mais de um ano de busca no fundo do Mar Báltico, disse Tomasz Stachura, que liderou a descoberta. Stachura é um dos fundadores da equipe de mergulho Baltictech.

ANÚNCIO

Por uma curiosa coincidência, o navio naufragado tem o mesmo nome – Karlsruhe – que um navio de guerra alemão da Segunda Guerra Mundial encontrado na Noruega no mês passado, que foi afundado em 1940. Ambos os navios receberam o nome de uma cidade na Alemanha.

O navio SS Karlsruhe de 60 metros de comprimento participou da evacuação maciça alemã da Prússia Oriental em abril de 1945, apelidada de Operação Hannibal pela liderança nazista, que ocorreu quando o Exército Vermelho Soviético avançou para o oeste.

Em 12 de abril, o Karlsruhe se tornou o último navio alemão a deixar Königsberg – agora Kaliningrado, na Rússia. Outras partes da Prússia Oriental tornaram-se partes da Lituânia e da Polônia após a guerra. O navio seguiu para oeste, mas foi afundado por aviões de guerra soviéticos no dia seguinte.

ANÚNCIO

Alguns historiadores há muito suspeitavam que as muitas caixas carregadas no navio continham o que restou da famosa Sala Âmbar, uma câmara ricamente decorada de um palácio russo saqueado pelos alemães e depois perdido durante a Segunda Guerra Mundial, disse Stachura.

A verdade é que se os alemães quisessem tirar algo valioso de Königsberg, Karlsruhe seria a última opção”, disse ele.

Sala Âmbar

A Sala Âmbar era, como o nome sugere, preenchida com âmbar feito à mão. Sua construção começou em 1701, quando um escultor barroco alemão e artesão âmbar dinamarquês o projetou para o Palácio de Charlottenburg, residência de Friedrich I, o primeiro rei da Prússia, segundo a Smithsonian Magazine.

Naufrágio nazista pode conter tesouros saqueados da 'Sala Âmbar' do palácio russo
Foto: (reprodução/internet)

A sala tinha muitos admiradores, incluindo Pedro, o Grande, da Rússia.

Durante uma visita a Berlim em 1716, e quando o rei da Prússia, Frederico Guilherme, deu a Pedro os painéis de presente, os russos adicionaram âmbar, folha de ouro, pedras preciosas e espelhos suficientes para mobiliar uma sala inteira – uma tarefa que levou mais de 10 anos para ser concluída.

Veja também: Por que o oceano tem cores diferentes em lugares diferentes?

Quando foi concluída e instalada no Palácio de Catarina em Czarskoe Selo (“Vila do Czar”) nos arredores de São Petersburgo, a câmara continha mais de 6 toneladas de âmbar, bem como obras de arte e outros objetos preciosos. Esses tesouros são estimados em US$ 500 milhões hoje, informou a United Press International (UPI).

Mas o Amber Room foi capturado como despojo de guerra em 1941 por soldados alemães invasores. Embora os soviéticos tenham tentado esconder os painéis de âmbar cobrindo-os com papel de parede, os alemães o descobriram, desmontaram e transportaram em pedaços para Königsberg, onde foi remontado para exibição no castelo da cidade.

Após a evacuação alemã de Königsberg em 1945, no entanto, os tesouros da Sala Âmbar nunca mais foram vistos – e alguns suspeitam que foram secretamente transportados para a Alemanha, possivelmente no vapor Karlsruhe.

Alguns investigadores, no entanto, alegam que a Sala Âmbar foi embalada em caixotes que foram destruídos quando os soldados soviéticos incendiaram parte do castelo, uma calamidade embaraçosa mais tarde encoberta pelas autoridades soviéticas.

Naufrágio misterioso

Para investigar o assunto mais a fundo, a equipe de mergulhadores poloneses procurou os destroços do navio Karlsruhe ao cruzar os locais submarinos relatados por pescadores que prenderam suas redes nos locais dos ataques de aviões de guerra soviéticos descritos nos registros militares, disse Stachura.

Naufrágio nazista pode conter tesouros saqueados da 'Sala Âmbar' do palácio russo
Foto: (reprodução/internet)

A equipe usou um sonar para localizar 22 destroços que correspondiam às dimensões do navio e mergulhou até esses locais. Em 24 de setembro deste ano, eles identificaram o Karlsruhe de sua proa distinta em sua terceira viagem para os destroços, disse ele.

O navio havia deixado Königsberg na noite de 12 de abril com mais de 1.000 refugiados e 360 ​​toneladas de carga a bordo, mas foi atingido por um torpedo de um avião de guerra soviético lançado na manhã de 13 de abril, e apenas 113 pessoas sobreviveram.

Stachura disse que os destroços estão relativamente intactos e que eles viram veículos militares e várias caixas a bordo, mas os mergulhadores não sabem dizer se alguma das caixas contém os restos saqueados da Sala Âmbar perdida.

“Mergulhar a uma profundidade de 88 metros é muito difícil”, disse ele. “Focamos apenas no inventário, filmagem e documentação fotográfica.”

E ele não pode dizer ainda quando sua misteriosa carga poderá ser recuperada: “O possível exame da carga terá que ser discutido com o Escritório Marítimo em Gdynia, Polônia, e eles tomarão a decisão final”, disse ele.

Traduzido e adaptado por equipe Conhecimento Agora

Fonte: Live Science

ANÚNCIO