Financiamento x Empréstimo x Compra à Vista: qual a melhor opção?

Financiamento, empréstimo ou pagamento à vista, afinal, qual é o melhor modo de se fazer compras? Decidir por qual modalidade apostar pode ser muito complicado, pois é necessário conhecer as vantagens e desvantagens de cada uma delas, e também, analisar o momento atual em que você se encontra.

ANÚNCIO

Realizar o sonho de comprar um automóvel, ou uma casa própria, por exemplo, pode custar muito para o bolso, o que nos força a recorrer a uma dessas alternativas, que, dependendo do momento, pode ser sua melhor escolha. Confira nosso artigo para te ajudar a decidir entre as três opções disponíveis.

Financiamento x Empréstimo x Compra à Vista: qual a melhor opção?
Foto: (reprodução/internet)

Neste artigo, será possível conferir as seguintes informações sobre o tema:

  • As vantagens de se fazer compras à vista;
  • Financiamento pode ser a melhor opção para se fazer compras grandes;
  • A importância de pagar um maior valor de entrada no financiamento;
  • Entenda como funcionam os empréstimos;
  • Quais são os tipos de empréstimos disponíveis;
  • Opções de empréstimo para negativados;
  • Confira qual é a melhor opção entre as três citadas.

Compra à vista é uma boa opção para quem sabe poupar

A compra à vista é, notavelmente, a melhor opção para quem consegue poupar uma boa quantia de dinheiro todo mês. Afinal, dentre as opções disponíveis, ela é a única que não conta com juros incluso, ou seja, no fim da aquisição, você terá pago menos do que nas outras alternativas.

Financiamento x Empréstimo x Compra à Vista: qual a melhor opção?
Foto: (reprodução/internet)

No entanto, existem algumas barreiras para quem quer pagar dessa maneira. Sabemos que a realidade do povo brasileiro não é das melhores, e juntar uma boa quantia em dinheiro pode ser uma missão quase impossível para alguns, o que dificulta na escolha por essa modalidade de compra.

Porém, um ponto que pode ser destacado nas compras à vista é que, ao pagar dessa maneira, muitos estabelecimentos acabam disponibilizando descontos para seus clientes, com essa porcentagem, algumas vezes, chegando a até 30% do valor total. Uma boa economia para o bolso.

É necessário ter paciência para comprar à vista

Como foi dito anteriormente, juntar dinheiro é o grande desafio para quem quer fazer compras à vista, logo, é necessário ter muita paciência para conseguir alcançar seus objetivos, pois, muitas das vezes, o valor a ser gasto é uma quantidade bem considerável.

ANÚNCIO

No caso da compra de uma casa, por exemplo, será preciso esperar alguns bons anos até que todo o dinheiro necessário seja acumulado, e muitas vezes, o comprador não tem todo esse tempo disponível. Pense bem antes de escolher por essa modalidade, apesar dela ser bastante indicada.

Financiamentos são de grande ajuda em compras muito grandes

Outra opção interessante para quem quer fazer compras é o financiamento, muito recomendado para quem precisa realizar aquisições que sejam muito caras, como um carro ou uma casa, por exemplo. Para quem não tem dinheiro guardado, pode ser uma boa alternativa.

Financiamento x Empréstimo x Compra à Vista: qual a melhor opção?
Foto: (reprodução/internet)

O financiamento é uma escolha interessante para quem vive de aluguel e quer adquirir uma casa própria, já que, a partir do momento que ele começa pagar, ele já pode migrar para o novo imóvel e, muitas das vezes, o valor das parcelas é semelhante ao do aluguel.

No entanto, é bom ficar ciente de que é preciso dar um valor de entrada nesse tipo de compra, e o restante do valor é o que será financiado. Além disso, se possível, escolha o menor número de parcelas possível para arcar com elas, para evitar ficar com dívidas durante muito tempo.

Se endividar por muito tempo não é saudável

Fazer dívidas muito longas não é interessante para sua saúde financeira, pois muitas vezes, alguns contratempos podem atrapalhar no pagamento de dívidas. Ser demitido do trabalho, ou acabar tendo que lidar com alguma emergência, por exemplo, podem atrapalhar no pagamento.

Conciliar o pagamento das parcelas do financiamento com essas situações, uma vez ou outra, pode até ser possível para algumas pessoas, no entanto, fazer isso com frequência, pode significar o atraso de parcelas e um juros ainda maior no outro mês. Portanto, cuidado.

Junte um pouco de dinheiro para dar de entrada

Sabemos que a missão de juntar dinheiro pode ser complicada para a realidade de muita gente, porém, no caso dos financiamentos, é mais recomendado que se dê um valor de entrada maior nas compras, o que significa que será preciso fazer isso.

Financiamento x Empréstimo x Compra à Vista: qual a melhor opção?
Foto: (reprodução/internet)

Ao dar um maior valor de entrada, o valor a ser financiado fica menor, ou seja, menor vai ser o número de parcelas a ser financiada, o que diminui o juros que será cobrado, e diminui o tempo em que você terá que arcar com essa dívida, aumentando sua economia.

Além disso, caso consiga juntar um pouco de dinheiro enquanto ainda estiver pagando o financiamento, é possível fazer a amortização de parcelas, diminuindo o valor total a ser pago. De qualquer forma, guardar uma quantia monetária vai te ajudar nessa modalidade também.

Dicas para economizar mais dinheiro

Guardar dinheiro pode ser complicado, no entanto, existem algumas dicas que podem te ajudar. Anotar os gastos, com o auxílio de uma planilha, podem te ajudar bastante nisso, além do estabelecimento de metas de quanto você deve reservar para a poupança todo mês.

Porém, o mais importante quando falamos de juntar dinheiro é ter paciência. Não adianta tentar acumular tudo de uma vez em poucos meses, pois isso raramente dá certo. Comece devagar e adeque seus gastos a sua nova realidade financeira, para fazer com que a abordagem funcione.

Como funcionam os empréstimos

Os empréstimos são simples, sendo a opção mais escolhida por muitos brasileiros. No entanto, é preciso ficar atento para entender melhor quais são os tipos disponíveis e como eles funcionam na prática, para não contar com nenhuma surpresa ingrata no futuro.

Financiamento x Empréstimo x Compra à Vista: qual a melhor opção?
Foto: (reprodução/internet)

Basicamente, o solicitante entrará em contato com uma instituição financeira, que fará uma análise do perfil do cliente para decidir se irá ceder o crédito ou não. Caso tenha pendências ativas, é bem provável que o pedido seja negado, pois entendem que as chances de você pagar as dívidas são baixas.

Porém, caso o pedido seja aprovado, o cliente poderá contar com o valor em sua conta. Será necessário devolver o dinheiro com acréscimo de juros no futuro, com o valor das parcelas sendo delimitado já no momento da contratação, para que o solicitante já fique ciente do que terá que pagar.

Juros são maiores do que no financiamento

Por poder ser contratado a qualquer momento pelos clientes, e por qualquer razão, diferente do financiamento, que pode ser feito apenas para casas e automóveis, o empréstimo acaba cobrando uma taxa de juros maior dos clientes, já que os riscos assumidos são maiores.

Ou seja, essa opção monetária disponibiliza maior flexibilidade, porém, exatamente por isso, pode acabar exigindo mais dos seus solicitantes. Portanto, fique atento às taxas de juros para não se surpreender negativamente no futuro.

Quais são os tipos de empréstimos?

Existem dois tipos de empréstimos disponíveis: pessoal e consignado. Na modalidade pessoal, que é a mais comum, o cliente pode solicitar o valor que deseja nas instituições, porém, acabará tendo que arcar com uma maior taxa de juros, além de o pagamento não ser descontado diretamente da folha.

Financiamento x Empréstimo x Compra à Vista: qual a melhor opção?
Foto: (reprodução/internet)

A modalidade consignada conta com juros menores, mas não está disponível para todo mundo. Apenas servidores públicos, pessoas que já estejam aposentadas, ou pensionistas do INSS, têm direito a solicitar essa modalidade. O valor já é cobrado na folha de pagamento.

Caso tenha a opção, o empréstimo consignado é a melhor opção, porém, como vimos, nem todo mundo pode solicitar. No fim, o mais importante é se fazer uma boa pesquisa antes de fechar qualquer contrato, pois as taxas de juros baixas devem ser sua prioridade.

Pode ser a melhor opção para emergências do dia a dia

Apesar de contar com taxas de juros mais altas do que o financiamento, o empréstimo pode ser uma opção melhor para quem necessita de dinheiro em momentos emergenciais, já que, diferente do financiamento, não conta com restrições, não é necessário um motivo específico.

Dessa maneira, caso precise ir a um hospital e não tenha plano de saúde, ou caso o carro tenha quebrado sem motivo aparente, o empréstimo, caso não tenha dinheiro guardado suficiente para arcar com as despesas, é a melhor opção disponível.

Opções para negativados

Uma outra barreira para quem quer contar com empréstimos é que, na maioria dos casos, é preciso estar com o nome limpo para solicitar eles. No entanto, grande parte da população brasileira não tem esse privilégio hoje em dia, o que dificulta a concessão de crédito.

Financiamento x Empréstimo x Compra à Vista: qual a melhor opção?
Foto: (reprodução/internet)

Contudo, hoje já existem algumas opções interessantes para quem quer contratar empréstimos mesmo estando negativado. O próprio Serasa tem uma plataforma criada especificamente para isso, onde facilita com que o devedor consiga encontrar uma instituição financeira para lhe ajudar.

Além disso, outra opção interessante é a da Crefisa, que também disponibiliza crédito mesmo que você esteja com o famoso “nome sujo”. Ainda existem diversas outras opções no mercado atual, basta dar uma pequena pesquisada.

Afinal, qual é a melhor opção?

Como podemos notar no decorrer do artigo, cada uma das modalidades conta com suas vantagens e desvantagens, sendo importante conhecer bem cada uma delas antes de escolher de qual forma você irá pagar sua dívida.

No fim, cada uma das opções conta com seus pontos positivos, e cabe ao solicitante escolher, de acordo com o momento em que estiver, qual delas se encaixa melhor em seu cenário, apenas lembre-se sempre de arcar apenas com dívidas que consiga pagar sem maiores dificuldades.