Esta estrela sobreviveu sendo engolida por um buraco negro

ANÚNCIO
Esta estrela sobreviveu sendo engolida por um buraco negro
Foto: (reprodução/internet)

Se você entrar em uma gaiola com um buraco negro, bem, não será nada bonito. Essa é uma das características que definem o universo – os buracos negros têm uma atração gravitacional tão imensa que podem engolir estrelas inteiras. Exceto uma estrela de sorte conseguiu escapar da ira de um buraco negro, pelo menos por um momento.

Um relatório da edição de março dos Avisos Mensais da Royal Astronomical Society detalhou como esta estrela gigante vermelha, localizada na galáxia GSN 069 (cerca de 250 milhões de anos-luz da Terra), vagou um pouco perto demais de um buraco negro supermassivo e ficou presa em suas garras.

ANÚNCIO

Ao contrário da maioria das estrelas, ela conseguiu escapar do abraço total do buraco negro.

Paradeiro da estrela

Ainda assim, a imensa massa do buraco negro (cerca de 400.000 vezes a do nosso Sol) e a atração gravitacional fizeram com que a estrela ficasse presa em uma órbita elíptica ao seu redor.

Originalmente uma gigante vermelha, as camadas externas ricas em hidrogênio da estrela foram eliminadas pelo buraco negro, deixando apenas um núcleo rico em hélio (chamado de anã branca).

ANÚNCIO

Ela orbita o buraco negro uma vez a cada nove horas e, conforme as peças são removidas, elas se misturam com outro material que circunda o buraco negro. Esse processo gera rajadas de raios X, uma espécie de farol para nós, terráqueos.

“Ela [a estrela anã] tentará muito escapar, mas não há como escapar. O buraco negro vai comê-la cada vez mais lentamente, mas nunca vai parar”, disse Andrew King, professor de astrofísica teórica da Universidade de Leicester no Reino Unido em um comunicado. King realizou o estudo que encontrou a razão para as explosões de raios-X.

Veja também: É possível que qualquer coisa fique ‘livre de germes’?

Os cientistas coletaram os dados usando o Observatório de Raios-X Chandra da NASA e o XMM-Newton da Agência Espacial Europeia, um observatório espacial de raios-X.

Não é raro os cientistas encontrarem os chamados eventos de interrupção das marés, que é o termo educado para quando um buraco negro “desmancha” uma estrela pouco a pouco.

Mas eles dizem que tiveram a sorte incrível de ter detectado evidências de uma estrela que sobreviveu ao seu encontro inicial com o buraco negro, um evento que é muito mais raro – em parte porque o encontro tem uma curta duração de apenas cerca de 2.000 anos-luz, que é apenas um piscar de tempo em termos de funcionamento interno do universo.

Estrelas mais massivas podem sobreviver regularmente a buracos negros. Mas suas órbitas em torno dos buracos levariam tanto tempo que os cientistas nunca teriam a oportunidade de catalogar múltiplas explosões de raios-X como estão agora.

No final, a anã branca poderia se tornar um planeta com uma massa aproximadamente igual à de Júpiter, de acordo com King. Esse processo pode levar até um trilhão de anos.

Traduzido e adaptado por equipe Conhecimento Agora

Fonte: HowStuffWorks

ANÚNCIO