Saiba por que as taxas fazem do parcelamento no cartão uma má opção

O cartão de crédito é o grande parceiro do brasileiro no momento das compras, porém, ao analisar o montante total pago na aquisição, muitos ficam com o pé atrás sobre voltar a utilizar o cartão novamente. Isso porque, como grande parte dos usuários já percebeu, as cobranças de juros nos parcelamentos não é nada modesta.

ANÚNCIO

Muitas vezes acabamos optando pelo parcelamento como forma de pagamento por entendermos que essa é a melhor maneira de se adquirir algo, porém, essa mentira já está começando a fazer boa parte dos compradores abandonarem o uso do cartão. Fique aqui para entender como as taxas influenciam e o porquê do parcelamento não ser uma boa opção de compra.

Saiba por que as taxas fazem do parcelamento no cartão uma má opção
Foto: (reprodução/internet)

Falaremos sobre os seguintes tópicos no artigo a seguir:

  • Confira a diferença entre os tipos de parcelamento;
  • É possível pedir a isenção de juros mesmo em compras parceladas;
  • Entenda porquê as compras à vista são mais baratas;
  • Parcelamento passa falta sensação de que temos mais dinheiro;
  • Parcelamento compromete seu orçamento durante muito tempo;
  • Evite o crédito rotativo a todo custo.

Confira a diferença entre os tipos de parcelamento

Atualmente, existem dois tipos de parcelamento: com e sem juros. As compras sem juros são as mais procuradas pelos consumidores, já que acabam não aumentando o montante total ao fim do pagamento de todas as parcelas.

ANÚNCIO

A compra de uma geladeira de R$ 2.000 por exemplo, em uma compra sem juros, parcelada em 10 vezes, vai terminar de ser paga, ao fim dos 10 meses, pela quantia de R$ 2.000. Porém, quando falamos de parcelamento com juros, a questão é um pouco mais desvantajosa para o comprador.

Saiba por que as taxas fazem do parcelamento no cartão uma má opção
Foto: (reprodução/internet)

A mesma compra, com juros de apenas 5% incluso, também parcelada em 10 vezes, sairia no valor total de R$ 2.100 ao fim dos 10 meses. Caso ainda tenha que optar pelo parcelamento como forma de comprar, procure por estabelecimentos que disponibilizam opções sem juros.

Isenção de juros é possível, porém difícil

Agora já entendemos o porquê das taxas de juros estarem sempre inclusas nas compras parceladas, o que as faz menos vantajosas do que outras modalidades disponíveis, é preciso dizer que, em alguns casos, é possível conseguir a isenção dos juros extras.

Saiba por que as taxas fazem do parcelamento no cartão uma má opção
Foto: (reprodução/internet)

No entanto, já é válido destacar de agora que isso não é muito comum de acontecer. Para isso, o cliente terá que negociar com o vendedor ou gerente da loja, para que um desconto seja dado do valor bruto do produto. Em algumas ocasiões, o valor baixa tanto que se torna uma compra vantajosa.

Porém, como dito, isso não é muito fácil de se conquistar, e poucas são as vezes que os comerciantes concordam em baixar os juros em compras parceladas. No entanto, solicitar isso é de graça, e você pode conseguir alguns descontos interessantes dessa maneira.

Entenda porquê as compras à vista são mais baratas

As compras à vista são mais baratas do que as outras modalidades, mas muita gente ainda não sabe porquê isso acontece. A questão é simples: se pegarmos o valor de uma geladeira que custa R$ 2.000, esse número inicial, já é acrescido de alguns juros.

Saiba por que as taxas fazem do parcelamento no cartão uma má opção
Foto: (reprodução/internet)

Quando pagamos à vista, o valor pode acabar ficando menor porque o vendedor, em algumas ocasiões, tem permissão para descontar o juros dos R$ 2.000, vendendo o produto por um valor mais próximo ao do que seria cobrado idealmente.

Dessa forma, é possível conseguir comprar produtos de maneira muito mais barata, com descontos que, em algumas ocasiões, ultrapassam até mesmo a marca dos 10%. Juntar dinheiro durante algum tempo, para realizar esse tipo de compra, pode valer muito a pena no fim das contas.

Parcelamento passa falta sensação de dinheiro

Outro ponto negativo a ser destacado acerca do parcelamento de compras é que, ao se fazer uma aquisição desse modo, o comprador fica com a falsa sensação de que tem mais dinheiro do que realmente tem, sendo um prato cheio para que pessoas se endividem sem perceber.

Saiba por que as taxas fazem do parcelamento no cartão uma má opção
Foto: (reprodução/internet)

O valor da parcela será cobrado em algum momento, e é muito importante que o comprador deixe o dinheiro já reservado para não correr o risco de atrasar o pagamento da parcela. Caso isso aconteça, ela terá que lidar com juros referentes a isso, e eles, muito comumente, não são baixos.

Isso facilita com que a desorganização tome conta da sua vida financeira, e acredite, a situação acontece com muita gente. De acordo com dados divulgados pelo Proteste, em pesquisa realizada em 2017, 62,2% da população brasileira está endividada, o que nos mostra o quanto é importante nos organizar financeiramente.

Você pode nem estar em posse do produto que comprou parcelado

Se ainda não está convencido de que as compras parceladas podem ser um problema, um bom ponto a se pensar é que, muitas vezes, realizamos a compra, e quando enfim finalizamos o seu pagamento, depois de longos meses, ela nem mesmo está em nossa posse, já tendo estragado ou perdendo a utilidade para o momento.

Por isso, por mais que as compras parceladas não sejam indicadas de maneira geral, só deixe para realizar compras assim em mercadorias que tenham longa durabilidade, como uma TV, geladeira, e outros utensílios úteis para a vida. Mesmo assim, se lembre de evitar o parcelamento, caso seja possível.

Parcelamento compromete seu orçamento durante muito tempo

Um bom motivo para não adotar o parcelamento como principal forma de se realizar compras é que ele acaba comprometendo seu orçamento mensal durante muito tempo. Por mais que o valor das parcelas não seja alto, ainda assim é um ponto a ser levado em consideração.

Saiba por que as taxas fazem do parcelamento no cartão uma má opção
Foto: (reprodução/internet)

Sabemos que as compras parceladas, muitas vezes, acabam sendo necessárias, e às vezes as condições de parcelamento realmente são boas, apesar disso ser bem raro de acontecer. Porém, mesmo dessa forma, ainda existem muitos riscos ao se adotar essa modalidade de compra.

A parcela pode ser baixa, mas o montante, muitas das vezes, vai ser maior do que o que seria originalmente. Não ter certeza se conseguirá arcar com todas as despesas não é uma boa maneira de organizar sua vida financeira, afinal, você pode acabar entrando no crédito rotativo por conta disso.

Quanto mais parcelas, pior

Como vimos, o parcelamento não é a melhor maneira de se fazer compras, pois quanto maior o número de parcelas, pior será a compra. Isso porque o juros também aumenta, sendo aplicado em cada um dos meses de pagamento. O preço da sua compra pode quase dobrar dessa forma.

Além disso, como já citado, o seu orçamento mensal vai ficar comprometido dessa maneira, e por quanto mais tempo você permanecer nessa condição, pior para você. Se for optar pelo parcelamento, faça isso com o menor número de parcelas possíveis.

Crédito rotativo? Evite a todo custo

O crédito rotativo é o grande vilão de quem utiliza cartão de crédito. A taxa é cobrada quando o cliente não consegue arcar com o valor total da parcela mensal, fazendo com que o débito restante “rode” para o próximo mês, acrescido de juros, que, geralmente, não são amigáveis.

Saiba por que as taxas fazem do parcelamento no cartão uma má opção
Foto: (reprodução/internet)

A cobrança é uma das grandes responsáveis pelo endividamento de boa parte do povo brasileiro, que não consegue arcar com o valor do juros a mais na parcela, fazendo com que a vida financeira se torne uma verdadeira bola de neve.

Por conta disso, o mais recomendado é que evite o crédito rotativo a todo custo. Caso não tenha saída, opte pelo parcelamento da fatura, pois os juros dessa modalidade conseguem ser menores do que o rotativo. Não deixe de negociar com seu banco para encontrar a melhor saída.

Cartões de crédito com as menores taxas do mercado

Como não temos como escapar do uso do cartão de crédito, o mais recomendado é que escolha alguma das opções que contam com um menor valor referente ao crédito rotativo. O valor, mesmo do mais baixo, ainda continua sendo bastante considerável.

Confira agora quais são os cartões de crédito com as menores taxas de crédito rotativo disponíveis no mercado:

  • Inter Gold: 143,55% ao ano (livre de anuidade);
  • Next Visa Internacional: 210,43% ao ano (livre de anuidade);
  • Cartão C6 Bank: 268,91% ao ano (livre de anuidade);
  • Digio: 271,81% ao ano (livre de anuidade);
  • Nubank: 385,17% ao ano (livre de anuidade);
  • Banco Original Internacional: R$ 402,47% ao ano (livre de anuidade);
  • Itaú Credicard Zero: R$ 417,70% ao ano (livre de anuidade);
  • Pan Zero Anuidade: R$ 747,19% ao ano (livre de anuidade);
  • Pan Básico: R$ 747,19% ao ano (livre de anuidade).

Se possível, evite fazer compras parceladas

Como vimos no decorrer do artigo, a compra parcelada, na maioria das vezes, não é a melhor opção de pagamento, e por conta disso, o mais recomendado é que evite essa modalidade de compra. Sabemos da realidade da maioria dos brasileiros, mas, se possível, tente fazer todas as aquisições à vista.

Para isso, é necessário se programar durante algum tempo, juntando a quantia necessária para concretizar a compra. Não deixe de começar a organizar sua vida financeira e a poupar dinheiro agora mesmo, para evitar que se passe por perrengues no futuro.

ANÚNCIO