Conheça a história do ponto turístico mais famoso de Paris

Será que você sabe tudo sobre o ponto turístico mais famoso de Paris? Com certeza, há muitas curiosidades sobre a Torre Eiffel que pouquíssima gente sabia. Por exemplo, que o nome vem do seu criador, o Gustave. E que ela tinha esconderijos secretos.

Aliás, você sabia que a Torre Eiffel foi feita para ser um projeto de uma exposição? E que durante a construção ela recebeu muitas críticas? Aliás, você sabe quantos degraus é preciso subir para chegar ao topo da Torre? É sobre tudo isso que se trata o texto abaixo, leia. 

ANÚNCIO
Conheça a história do ponto turístico mais famoso de Paris
Foto: (reprodução/internet)

Alexandre Gustave Eiffel

Você já deve ter imaginado alguma vez na vida que a Torre Eiffel tem esse nome por conta do seu criador, ou melhor, do seu idealizador, correto? Alexandre Gustave Eiffel nasceu em 1832 em Dijon, na França, a partir de uma família rica de origem alemã.

Conheça a história do ponto turístico mais famoso de Paris
Foto: (reprodução/internet)

O pai era oficial militar e a mãe era herdeira das indústrias de madeira e de minas de carvão. Mais tarde, Gustave entrou na Escola Central de Artes e Ofícios de Paris com o intuito de estudar química. De fato, como estudante de química, ele foi um aluno exímio.

Após conseguir o título de engenheiro químico, Gustave se interessou pela metalurgia e começou a trabalhar na área devido aos contatos que a mãe tinha. Foi funcionário de Charles Nepveu, que construía máquinas a vapor e fabricava material para as linhas de ferro.

O interesse por metais

Dentro dessa área, Gustave viu que as construções metálicas ganhavam força a partir do impacto gerado pelo progresso da metalurgia. O aço já era um material muito bem-visto desde a época da faculdade. Quando se tornou chefe, Gustave começou a criar os projetos.

A primeira construção com assinatura dele foi a Ponte de Bordeaux, que tinha mais de 500 metros. E isso ele projetou com apenas 25 anos de idade. Mais tarde, criou a própria empresa e aperfeiçoou técnicas de montagens, chamadas de consolas (cantilevers).

Outra grande obra de Gustave e sua companhia foi a Estátua da Liberdade, de Nova Iorque, na qual a estrutura foi elaborada por ele. Começou a trabalhar no mundo todo, em estradas de ferro, em viadutos, como associado e muito mais. 

O sucesso da Torre Eiffel

Nessa altura do texto, você já deve imaginar que entre tantas obras de Gustave, a gente vai chegar ao símbolo de França, a Torre Eiffel. Porém, o que não sabe é que o projeto teve muitas críticas, a ponto de ter a previsão de que fosse destruída em 20 anos após a elaboração.

Conheça a história do ponto turístico mais famoso de Paris
Foto: (reprodução/internet)

Apaixonado pela ciência, Gustave viu o seu auge após a Torre mais famosa do mundo. A torre de 300 metros de altura ganhou o nome dele, se tornou símbolo do país e fez parte da Exposição Universal de 1898, no centenário da Revolução Francesa.

Nesse concurso, a ideia era a “possibilidade de erguer sobre o Campo de Marte uma torre de ferro, de base quadrada, com 125 metros de largura e 300 metros de altura”. O do Gustave foi o escolhido entre uma centena de ideias.

As críticas a construção da Torre Eiffel 

As principais críticas para essa construção da arquitetura moderna da época vinham pela ameaça à estética da cidade. Inclusive, os críticos criaram o “Protesto dos Artistas contra a Torre do Sr. Eiffel”. A obra não era refinada para a cidade, eles diziam.

Aparentemente frágil e delicada, a torre foi erguida mesmo com os protestos. Os trabalhos duraram cerca de dois anos com Maurice Koechlin e Emile Nouguier fazendo a engenharia e Stephen Sauvestre como arquiteto chefe.

Foram três etapas de construção, a do primeiro andar, a do segundo andar e a montagem definitiva. Foi assim que em 31 de março de 1889, Gustave subiu os 1710 degraus da torre para colocar lá no topo a bandeira do seu país. 

A importância da Torre Eiffel

Após as críticas e a construção, o sucesso foi inaugurado. Ainda mais depois que se tornou peça importante na telegrafia sem fio e nas experiências do General Ferrié, em 1902. Em 1934, ela serviu de antena para a 1ª emissão de televisão do mundo.

Conheça a história do ponto turístico mais famoso de Paris
Foto: (reprodução/internet)

Durante a inauguração, a Torre Eiffel pesava mais do que 7 toneladas. Atualmente, esse peso deve passar das 10 mil toneladas. Em 2009, a obra passou por ajustes, especialmente na silhueta, na visão panorâmica e na área de acessibilidade ao público.

Por isso, atualmente, a Torre Eiffel recebe mais de 7 milhões de pessoas como visitantes. Um ponto bacana de mencionar é que mesmo com o sucesso da sua Torre, Gustave continuou trabalhando, só que na criação de atlas meteorológicos e na área de aerodinâmica. 

A Torre Eiffel durante a Guerra

Um dos marcos históricos mais importantes do mundo que se liga à Torre Eiffel é a Segunda Guerra Mundial.  Durante a invasão de Hitler à Paris, acredita-se que os cabos do elevador da Torre tenham sido cortados. Mas, calma, eles já foram trocados.

Com isso, as tropas precisavam subir os mais de 1500 degraus por conta própria. Assim, eles chegavam ao apartamento secreto de Gustave, que ficavam no topo do monumento. Desde essa época há uma informação de que no frio a Torre encolha 15 centímetros.

No entanto, a sua aparência sempre se mantém, no frio ou no calor, sem aumentar ou diminuir. O que se sabe é que tudo é preservado com novas pinturas que são anuais. Em cada vez, estima-se que sejam gastos mais do que 60 toneladas de tintas. 

As principais curiosidades sobre a Torre Eiffel

Até pouco tempo atrás muito se dizia sobre fotografar a Torre Eiffel à noite. Dizem que o espetáculo em forma de obra da arquitetura só pode ser fotografado durante o dia, já que à noite os direitos autorais sejam exigidos. Ninguém consegue comprovar a tese.

Conheça a história do ponto turístico mais famoso de Paris
Foto: (reprodução/internet)

A outra curiosidade que vale a pena mencionar é sobre o número de degraus. Primeiro, a gente mencionou os 1700 que o Gustave subiu pela primeira vez. Depois, falamos em 1500. Mas, qual é o certo, hein? Vamos tentar entender isso.

Na verdade, acredita-se que para chegar ao ponto mais alto da Torre Eiffel seja preciso passar por 1665 lances de degraus. Na verdade, isso não é mais necessário porque há elevadores que foram criados para os turistas que vão visitar a obra parisiense. 

Mais curiosidades da Torre Eiffel

Também podemos dizer que essa construção foi considerada a mais alta até 1930. Ou seja, estamos falando de uma evolução na história da arquitetura, já que era o monumento mais alto da Terra que foi construído por um homem. 

Mais tarde, como você deve saber, o posto foi perdido para a Chrysler Building, que tinha 329 metros de altura. Bom, acima falamos do esconderijo de Gustave, que ficava no topo da Torre, certo? Ele foi descoberto durante a Guerra e você sabe disso.

O que não sabe ainda é que também foi criado um esconderijo abaixo da Torre, que era chamado de bunker. Ele ficava no subsolo e era usado para proteção de ataques aéreos ou bombardeios. Por isso, muita gente diz que ele foi criado para a guerra. 

Os 72 nomes na Torre Eiffel

Outro ponto que merece destaque é saber que há história dos 72 nomes gravados na Torre Eiffel e isso é mesmo verdade. Gustave permitiu que nomes de matemáticos, físicos, militares e políticos fossem gravados ali. E são mais de 7 dezenas de nomes.

Conheça a história do ponto turístico mais famoso de Paris
Foto: (reprodução/internet)

O motivo era um reconhecimento das contribuições deles para a República da França. As gravações acabaram sendo cobertas por tintas no começo do século 20, mas foram restaurantes em 1986. Só que ainda há curiosidades que você não sabe.

No entanto, a grande curiosidade dos nomes na Torre Eiffel é que ela exclui alguns nomes importantes para a obra, como de Sophie Germain, que trabalhou na teoria da elasticidade da torre. Há quem diga que isso aconteceu pelo fato dela ser mulher. 

Onde ficam os nomes da Torre Eiffel

Se você ficou curioso, saiba que os nomes ficam divididos entre os lados. Obviamente, são 4 lados que a torre possui e, portanto, os nomes estão nesses locais. Um deles é o lado Trocadero e tem 18 nomes citados, como de Lavoisier, que criou a lei da conservação da massa.

Se você fez as contas de cabeça, deve ter visto que cada lado tem 18 nomes de famosos franceses e de outros países. Os outros lados são Grenelle, Campo de Marte e Sacre Couer, que somam ao lado Trocadero, mencionado acima. 

Entre os nomes mais importantes e conhecidos que estão lá na Torre Eiffel, também podemos mencionar o de Schneider, que pouca gente conhece, mas que foi quem construiu a primeira locomotiva a vapor da França. E esse é só um entre vários deles. 

Outros pontos turísticos de Paris

Para terminar o texto, saiba que se você vai para Paris então deve conhecer a Torre Eiffel. Mas, sabia que além dela existem outros pontos turísticos que também merecem a sua atenção? E vamos aos exemplos que podem encantar você na próxima viagem.

O Arco do Triunfo é um deles. Assim como a Catedral de Notre Dame, a Ópera Garnier e o Jardim de Luxemburgo. Para quem está com crianças, vale a pena passar na Disneyland Paris, Cité des Enfants e Cité des Sciences. Cada um deles tem o seu custo de passeio.

ANÚNCIO