Confira essas 10 dicas para se tornar um pintor profissional

O pintor profissional é aquela pessoa que está capacitado para fazer esse trabalho de pintar paredes. Assim como tetos, chãos e outras estruturas de um imóvel. Tem sido cada vez mais requisitado no mercado e pode atuar em casas, escritórios, apartamentos e muito mais.

Por outro lado, é uma profissão que permite que muitas pessoas atuem, já que não há requisitos mínimos estabelecidos na contratação. Na maioria dos casos, a forma de contrato é autônoma, onde a pessoa recebe pelo serviço. Mas, como ser um bom pintor de paredes?

ANÚNCIO
Foto: (reprodução/internet)

1 – Aprenda a técnica para pintar

Por mais que o contrato de trabalho seja mais flexível, considere que para ter sucesso na carreira de pintor é preciso conhecer as técnicas. Aliás, as melhores técnicas de pintura. Isso porque é através da indicação que o profissional vai ganhando mercado e dinheiro.

Foto: (reprodução/internet)

Hoje em dia, como é que se faz para aprender a técnica para pintar imóveis? De maneira simples, considere que existem vários cursos técnicos, que envolvem a parte teórica e a prática dessa profissão tão importante para manter o embelezamento e a proteção das estruturas.

Um dos melhores exemplos vem do curso de pintor do SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial). Além disso, é possível encontrar cursos gratuitos de pintor em fabricantes de tintas, lojas de material de construção ou de escolas públicas.

2 – Entenda os instrumentos de trabalho

Dentro da técnica de pintar, o profissional precisa conhecer sobre os instrumentos de trabalho. Por exemplo, o rolo. Mas, especialmente, os tipos de tintas que existem. E, mais do que isso, é preciso saber onde cada tipo de tinta será usado, em qual textura de parede. 

Foto: (reprodução/internet)

Isso porque cada tinta que é fabricada tem um tipo de aplicação diferente. Assim, dá para considerar as tintas para a aplicação interna ou externa, aquelas que são foscas ou não, entre outras diferenças que são importantes de serem consideradas. 

Para se ter uma ideia, considere que a tinta látex PVA é a mais indicada para o interior das casas. Ela tem uma base solúvel em água e pode ser preparada de modo simples. Também é fácil de ser limpada, caso respingue em móveis. Já a tinta acrílica tem alta impermeabilidade. 

3 – Treine na prática

Pode ser na sua própria casa ou no curso, o importante é treinar. Afinal, não dá para chegar na casa do cliente fazendo isso pela primeira vez, ok?  Uma boa ideia, aliás, é prestar serviços comunitários e voluntário para empresas, comunidades e ONGs, a fim de ganhar experiência.

Foto: (reprodução/internet)

Na hora do trabalho, uma boa ideia é lembrar das técnicas e do uso correto dos equipamentos. Depois, vale a pena o treinamento para saber o quanto será cobrado pelo serviço, isso precisa ser feito pensando na altura da parede, nos espaços e na hora de trabalho.

Outra parte importante do trabalho do pintor de paredes, como veremos abaixo, é sobre a atuação dele além de pintar. Uma boa dica é forrar o chão com papelão ou lona, por exemplo. Além disso, limpar os respingos que podem ter acontecido e dar atenção aos detalhes. 

4 – Use os EPIs

Ainda sobre a atuação do pintor, considere o uso do EPI (Equipamento de Proteção Individual). A verdade é que hoje em dia quase nenhum profissional faz o uso deles. Porém, isso pode gerar muitos riscos. Afinal, o profissional é responsável por ele mesmo.

Foto: (reprodução/internet)

Dessa forma, vale sim a pena usar capacetes para pintar paredes, por exemplo. Afinal, não é raro ter que subir em escadas, concorda? Além dos capacetes, as botas apropriadas são interessantes para evitar acidentes, como os escorregões.

Tem ainda a luva para evitar danos à saúde (especialmente para quem é alérgico), até mesmo porque a maioria das tintas são nocivas à saúde. E outros EPIs que podem ser usados pelos pintores são: óculos de proteção, máscara semifacial e aventais.

5 – Aprenda a administrar

Agora, quando o assunto gira em torno de um profissional que vende os próprios serviços, a administração se torna importante. E isso tem a ver não apenas com a parte financeira, mas também com a administração do trabalho, das tintas, das horas e tudo mais. 

Foto: (reprodução/internet)

A habilidade administrativa nada mais é do que gerir o seu negócio. Isso tem a ver com o dinheiro, sim, mas também com um planejamento do trabalho. Afinal, muitas vezes, será preciso comprar os equipamentos que serão usados e fazer análises prévias.

Também é legal de saber que dependendo do prazo e do tamanho da obra que vai receber a pintura, o pintor precisará de um apoio profissional. Ou seja, de contratar um novo agente para atuar nesse serviço. Tudo isso precisa ser bem administrado para não gerar prejuízos. 

6 – Se torne um profissional 

Esse tópico será breve e serve para que todo pintor entenda a importância de estar formalizado no mercado de trabalho. Essa regularização permite que as pessoas ou empresas contratantes tenham mais segurança na hora de contratar o pintor.

Foto: (reprodução/internet)

Atualmente, uma boa ideia para o pintor profissional é pensar no MEI, que é um formato para formalizar o Microempreendedor Individual. Assim, o profissional poderá até mesmo emitir notas, além de contribuir com a previdência social. 

Como falaremos no último tópico do texto, o salário do pintor residencial ou da construção civil no Brasil pode variar demais. Por isso, ter diferenciais como as técnicas e a formalização podem fazer a diferença na hora de vencer os concorrentes do mercado de trabalho.

7 – Aprenda a comercializar

Além de aprender a técnica de pintar e a técnica de administrar o negócio, um dos erros mais comuns dos pintores iniciantes é sobre as finanças, isto é, o comércio. A prestação de serviço deve ter um valor e isso não inclui apenas “a hora de trabalho”.

Foto: (reprodução/internet)

É preciso considerar esse tempo sim. Só que também o tempo de estudo que a pessoa levou para conseguir executar aquele trabalho. Além disso, tem a dificuldade e a complexidade do trabalho, o que envolve o uso de técnicas diferentes, de tintas diferentes, texturas diferentes, etc.

Assim, os pintores precisam ser sinceros quanto à dimensão do serviço que vão prestar. Além do mais, os profissionais precisam de lucro. E a saber: hoje em dia, esse é um mercado escasso, a ponto de que há serviço para todo bom pintor. E isso eleva a possibilidade de ganhar mais dinheiro. 

8 – Saiba como divulgar o serviço

Para quem considerou todas as dicas acima, então, vale a pena falar também da divulgação do trabalho. Hoje em dia, todo mundo está conectado na internet, concorda? Então, você também poderia e deveria estar. O que isso quer dizer?

Foto: (reprodução/internet)

Que dá para usar vários meios de comunicação e divulgação online. Assim, as pessoas podem ver o seu trabalho por ali. E a grande vantagem disso é que tudo é gratuito. Ao mesmo tempo, saiba que o maior potencial para conseguir novos clientes ainda é visando a indicação.

Por isso, jamais abra mão de um bom trabalho. Porque se ele for bom, o profissional é indicado e conseguirá novos trabalhos. Já se o trabalho não atendeu as necessidades do cliente, então, ele será mal falado e isso é bem ruim. 

9 – Aprenda novas técnicas

Se no começo do texto a gente mencionou sobre aprender técnicas básica da pintura, agora é hora de mostrar o seu diferencial. Ao aprender o básico e começar a ganhar experiência, vale a pena investir em técnicas especiais para pinturas diferenciadas. 

Foto: (reprodução/internet)

Esse tipo de pintura pode considerar a textura da parede e até mesmo a mistura de várias cores para criar um visual diferenciado. Outra ideia é pensar em projetos que agradem o cliente. Por isso, a importância de entender o que seu cliente quer, veja abaixo.

10 – Saiba o que o cliente quer

Para terminar esse conteúdo de uma forma bem completa, a última dica é sobre entender o cliente. Atualmente, a maioria visa um preço baixo para esse serviço. No entanto, querem um resultado impecável. Note que há uma discrepância nisso.

Foto: (reprodução/internet)

Então, saiba o que o cliente quer e valorize o trabalho. O seu cliente vai tentar negociar com você de várias maneiras, parcelando o pagamento, pedindo negociação e tudo mais. E o profissional até pode ser flexível quanto à isso, mas jamais esqueça do seu potencial.

Até mesmo porque os clientes sempre exigem um bom trabalho, o que vai além da pintura. Eles também requisitam profissionais que deixam o ambiente limpo, com organização, proteção de móveis, uso de equipamentos de qualidade e muito mais. 

Quanto ganha um pintor profissional?

Essa pergunta final gera muitas respostas. Afinal, tudo vai depender do mercado de trabalho, da região, do tipo de trabalho, da experiência no mercado, etc. De todo modo, vale a pena considerar que com a formalização, os pintores MEIs conseguem ganhar mais dinheiro.

Afinal, podem emitir notas fiscais e se apresentar como profissionais capacitados para o trabalho, partindo o que foi mencionado acima. O volume de trabalho e as técnicas diferenciadas é o que mais pode agregar valor nesse salário. Em geral, no Brasil, cobra-se R$ 50 para cada metro quadrado de pintura residencial.

ANÚNCIO