Você leva as coisas para o lado pessoal? Veja como parar

ANÚNCIO
Você leva as coisas para o lado pessoal? Veja como parar
Foto: (reprodução/internet)

Confira abaixo algumas dicas de Frederik Imbo, fundador da Imboorling e palestrante com o objetivo de aumentar as habilidades de comunicação das pessoas.

Digamos que estou tentando encontrar um local específico, então estou dirigindo bem devagar. A pessoa no carro atrás de mim começa a buzinar e piscar os faróis para mim.

ANÚNCIO

Como eu respondo?

Eu levo para o lado pessoal.

Eu sei que não deveria. Mas simplesmente acontece.

ANÚNCIO

Ou digamos que alguém cancele um compromisso relacionado ao trabalho comigo no último minuto.

Como eu respondo?

Novamente, eu levo para o lado pessoal, embora seja profissional. Sinto que não devo ser importante o suficiente.

Eu dou palestras para viver e realmente gosto de atrair meu público para a minha história. Mas no momento em que vejo alguém não prestando atenção e olhando para o telefone, levo para o lado pessoal.

Claro, eu não sou a única pessoa que leva esse tipo de coisa para o lado pessoal.

Imagine que você convide uma amiga para o cinema e ela responda: “desculpe, tenho que trabalhar”. Mas então você a vê nas redes sociais jantando com amigos naquela mesma noite.

Ou imagine que você trabalhou duro em um projeto, você está realmente orgulhoso do resultado final, mas o único retorno que você recebe são críticas. Então você chega em casa e quer compartilhar essa experiência terrível. Mas enquanto você conta sua história, seu parceiro se afasta para ligar a TV.

A maioria de nós levaria essas situações para o lado pessoal – nos sentiríamos magoados, negligenciados, ofendidos ou traídos pela outra pessoa.

Nesses momentos, acreditamos: “a culpa é da outra pessoa; eles são responsáveis ​​pelo que eu sinto; eles são os únicos culpados”.

A parte de nós que está falando é o nosso ego. Nosso ego acha que os outros devem nos levar em consideração. Nosso ego não quer ser criticado. Nosso ego quer ser reconhecido e informado de que estamos sempre certos.

Quando nossos egos assumem o controle, é exaustivo.

Você leva as coisas para o lado pessoal? Veja como parar
Foto: (reprodução/internet)

Em vez disso, provavelmente seria mais fácil para nós se pudéssemos parar de levar as coisas tão para o lado pessoal. Dessa forma, ninguém tem poder sobre nós; somos livres. Experimentaríamos mais harmonia e conexão entre nós e os outros, e nossa energia poderia ir para coisas positivas, em vez de lutar sem parar contra as coisas que nos deixam loucos.

Bem, como fazemos isso?

Aqui estão algumas estratégias que eu criei:

Estratégia nº 1: perceba que não se trata de você

Quando levo as coisas para o lado pessoal, sempre estou convencido de que suas ações são sobre mim. Quando vejo alguém olhando para o telefone enquanto estou falando, me sinto ofendido e penso: “ei, eu coloquei muito tempo e esforço nesta apresentação. Eu quero respeito”.

Mas, na verdade, não é sobre mim. E se eu tentar olhar para a perspectiva da outra pessoa e me perguntar: “por que ela está olhando para o telefone?”

Talvez ela tenha acabado de receber uma mensagem importante, pela qual estava esperando. Talvez o tema da minha apresentação não seja realmente a sua xícara de chá, ou, pelo contrário, ela o ache tão interessante que quer fazer anotações no telefone.

Ao mudar meu foco de “eu” para “nós”, não vou levar isso tão pessoalmente. Se tento ver a intenção da outra pessoa, abro espaço para a compreensão em vez da irritação.

Quando você põe seu filho para dormir e ele não quer que o faça e se joga no chão e grita: “eu te odeio”, você leva isso para o lado pessoal?

Provavelmente não, porque você sabe que não é sobre você; é sobre o que ele quer e precisa. Ele está com raiva porque só quer ficar acordado um pouco mais.

Sempre que você começar a levar as coisas para o lado pessoal, olhe para a intenção da outra pessoa. Claro, isso parece simples… em teoria. Na vida real, acaba sendo um trabalho terrível. Quando você vê dois colegas conversando, olham para você e começam a rir, você pensa: “ah, eles devem ter notado meus sapatos novos e eu os quero também”?

Não. Você pensa: “eles estão rindo de mim” ou “eles estão fofocando sobre mim”.

Você leva as coisas para o lado pessoal? Veja como parar
Foto: (reprodução/internet)

É preciso muito esforço para dizer a si mesmo: “espere aí, não tenho ideia. Eles podem estar rindo de algo que não tem nada a ver comigo”.

Ver as intenções positivas da outra pessoa requer disciplina e treinamento. Tornei-me uma espécie de árbitro para treinar meu cérebro para não levar as coisas para o lado pessoal.

Quando a estratégia “não é sobre mim” não funciona, geralmente significa que é sobre mim.

Então, é hora de usar:

Estratégia nº 2: dê a si mesmo alguma empatia ou fale

Digamos que um motorista esteja me perseguindo. Mesmo que eu ache que é porque ele está com pressa, preciso me perguntar: “eu estava dirigindo muito devagar?”

E quando o fizer, posso perceber que fui o culpado – e fico desconfortável porque não gosto daquela parte de mim que cometeu um erro.

É quando você precisa se dar um pouco de empatia e dizer algo como: “oh, isso dói; desejo tanto ser perfeito” ou “desejo estar certo e fico triste quando não me sinto assim”.

Às vezes, pode fazer sentido para você falar. Se alguém se afastar enquanto você estiver falando com ele, diga: “estou no meio da minha história e você me deixou para ligar a TV. Parece que você não se importa com o que estou dizendo”.

Ao se abrir, ser vulnerável e dizer como você se sente sem culpar a outra pessoa (esta última parte é importante), você aumenta a chance de que eles o entendam e levem em consideração suas necessidades.

Nas próximas horas, dias e semanas, espero que você encontre algumas coisas para levar para o lado pessoal – e acho que você encontrará! – para que você possa testar essas duas estratégias.

Traduzido e adaptado por equipe Conhecimento Agora

Fonte: TED-Ed

ANÚNCIO