Ministério da Saúde confirma chegada de vacinas Oxford para esta sexta-feira (22)

ANÚNCIO

Após o governo indiano confirmar nesta quinta-feira (21) que enviaria as doses compradas pelo governo do Brasil do imunizante de Oxford/AstraZeneca, o Ministério da Saúde comunicou que a importação foi de fato concluída.

Através de uma nota, a pasta ressaltou que os compostos imunizantes irão chegar durante o final desta sexta-feira (22), e que a carga vinda da Índia será trazida em voo comercial de responsabilidade da empresa Emirates, até o aeroporto de Guarulhos, em São Paulo.

ANÚNCIO
Ministério da Saúde confirma chegada de vacinas Oxford para esta sexta-feira (22)
Fonte: (Reprodução/Internet)

Vacinas são liberadas após adiamento

Ainda em concordância com a nota emitida, a carga será submetida aos trâmites alfandegários para poder enfim ser transferida ao aeroporto internacional Tom Jobim, no Rio de Janeiro. Ao todo, é esperado que mais de dois milhões de doses do insumo cheguem no horário previsto.

As doses em questão vieram de uma vacina desenvolvida pela AstraZeneca em colaboração com a Oxford University, produzida pelo Serum Institute. Os insumos foram pivô do desentendimento entre os países envolvidos, devido a não liberação para exportação das mesmas. 

Pouco antes de obter a confirmação do Ministério da Saúde, Jair Bolsonaro publicou uma declaração em suas redes sociais sobre a liberação das exportações de vacinas por parte do Ministro das Relações Exteriores da Índia, Harsh Srhingla. Bolsonaro também parabenizou o chanceler Ernesto Araujo e o servidor do Itamaraty pelo trabalho.

ANÚNCIO

Embaixada da China se dispõe a ajudar 

A Embaixada da China em Brasília emitiu ontem uma nota na qual promete fazer o melhor para avançar na exportação de insumos e vacinas para o Brasil. Com isso, acabou contribuindo para a fala de Estesto Araújo, onde ele negou divergências políticas.

O comunicado foi emitido quando o país se encontra carente de vacinas para produção local. O Instituto Butantan e a Fiocruz firmaram acordo de transferência de tecnologia para a produção de imunizantes em solo brasileiro.

Distribuição de imunizantes já deve ocorrer no sábado (23)

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) também afirmou ontem que, após os procedimentos de fiscalização e rotulagem, as 2 milhões de vacinas prontas recebidas da Índia devem ser distribuídas já durante a tarde deste sábado (23), conforme planejado.

Após chegarem, os insumos serão levados para Bio-Manguinhos, onde passarão por um processo de checagem de qualidade e segurança, além de rotulagem, como previsto pelas normas regulatórias. As caixas da vacina receberão descrições em português.

De acordo com nota divulgada pela Fiocruz, esse trabalho será realizado durante toda a madrugada, e sábado pela manhã por uma equipe treinada nesse serviço. A previsão é que a vacina esteja pronta para distribuição após as 14h.

Ministério da Saúde confirma chegada de vacinas Oxford para esta sexta-feira (22)
Fonte: (Reprodução/Internet)

Insumos importados somam mais de 12 milhões

Conforme mencionado anteriormente, o acordo entre Brasil e Índia prevê a entrega de 2 milhões de doses prontas para uso da vacina, que recebeu autorização de uso emergencial da Anvisa no último final de semana. Depois de chegar ao país, estarão prontos para distribuição.

A Índia também chegou a enviar doses gratuitas de vacinas para países vizinhos (Butão, Maldivas, Bangladesh, Nepal, Mianmar e Seychelles). Segundo Harsh Srhingla, Brasil e Marrocos foram os primeiros a receber a dose comprada.

Os compostos imunizantes oriundos da Índia vão se somar aos 6 milhões de doses de CoronaVac já distribuídas, e a outras 4,8 milhões de doses que serão aprovadas pela Anvisa. Juntas, somarão 12,8 milhões de doses no primeiro momento.

Vacinações devem seguir ordem de prioridade, segundo governo

O Programa Nacional de Imunização prevê que a primeira fase da vacinação seja dirigida a profissionais médicos, ao mesmo tempo que inclui também idosos com mais de 75 ou mais de 60 anos (em asilos) hospitalizados, além de grupos indígenas, quilombolas e populações ribeirinhas.

O Ministério da Saúde estima que esses grupos incluam 14,8 milhões de pessoas, o que exigirá 31,2 milhões de doses (assumindo uma perda cirúrgica de 5%). Portanto, a dose disponível representa apenas um terço da dose necessária na primeira fase.

Leia também: Brasil questiona Índia sobre previsão de entrega das vacinas de Oxford.

O governo conta com vacinas processadas localmente pelo Instituto Butantan e Fiocruz para usar a vacina contra a Covid-19 no Brasil. No entanto, espera-se que mais doses das vacinas CoronaVac e Oxford sejam produzidas na China, mas ainda não há previsão de lançamento.

References

Brasil questiona Índia sobre previsão de entrega das vacinas de OxfordBrasil questiona Índia sobre previsão de entrega das vacinas de Oxford – Conhecimento Agora

ANÚNCIO